segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Pedais nos arrabaldes da Princesa do Sul em 24 e 25 de novembro


No sábado, enquanto acontecia o "Aparecida One Day", pensando nos intrépidos, desejando-lhes sorte e sucesso nessa fantástica aventura, após uma breve reunião no bikeponto, Macielo (Lacraia-capelão), Timba, "Moc" Motadela e Luizão zaraparam em direção ao Alto da Cemig para um pedal desbravador, buscando trilhas inéditas no trecho entre o Morro das Antenas e o Mascatinho. O trio ternura: Merso, Argentino e Faísca, os dois primeiros encontrados também no bikeponto, decidiram fazer o também inédito "Muquinha Full - One Day".

Para o quarteto jurássico das trilhas, foi um percurso de muitos obstáculos: trilhas interrompidas, muitos galhos espalhados - com certeza pela última ventania que, inclusive, trouxe vários destelhamentos e prejuízos na cidade - matas fechadas, riachos, brejos e arbustos espinhudos, que riscaram as canelas dos quatro intrépidos. Apesar da ralação, foi um "chuá" de pedal de 40 kaemes que, claro, terminou comemorado na Choperia Pingüim.

Duas pausas entre as trilhas inéditas e difíceis.

Empacados no riacho de águas diáfanas, protegido por densa mata; e fluindo por um "single track".

Moc treinando uma massagem cardíaca no Capelão (para não constranger os leitores, foi retirada a foto do momento do "boca a boca"); posando após uma árdua subida.

O Capelão descansando, enquanto Moc e Timba consertam um pneu furado.

Luizão, no destaque; e a celebração do incrível "pedal-ralação" no Pingüim.




Domingo cedo, o grupo domingueiro seguiu para trilhas pros lados dos Tachos e Torre da Embratel, alguns jurássicos em suas "speeds" fizeram um pedal até a Venda do Chico, na rodovia Fernão Dias, e o casal Luísa Bomtempo e Luizão zarparam para o Soluvão, pedal rápido e tradicional de 35 kaemes em que a Luísa pedalou redondinho, mantendo a boa performance da jornada de "Bikessauras - Aparecida, agora é que são elas II". O fato do casal não ter pedalado com o grupo domingueiro foi a perda do horário.

Os búfalos da faz. Pedra Branca; e Luísa de Marilac atacando forte.

Mais dois momentos de Luísa, à direita, esbanjando técnica já quase ao final da longa subida.

Luizão, com Luísa ao fundo; e numa pausa no dorso da montanha.






Até a próxima pedalada!

Luiz A Nogueira






Carpe Diem

3 comentários:

Anônimo disse...

Show de relato Luizão.
Quero conhecer este pedal-ralação. Pelas fotos é show de roda.
Parabéns para a Luisa.
Abraços, Ronaldo.

Anônimo disse...

Incrível como, não importa se juntos ou separadamente, sempre há uma atividade jurássica em curso. Belo relato, Luiz. É isso mesmo, vamos manter o grupo sempre informado.

Rodrigo Silva

Anônimo disse...

Parabéns, Luiza! Para mim você é a revelação do ano no pedal. Beijos. Isabel