segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

São Lourenço IV



Aquele sábado, 16 de fevereiro, prometia um pedal longo, sensacional, para os sete intrépidos: Silas, Hebert, Rodrigo, Mortadela, Totonho, Timba e Luizão (esses quatro últimos representando a “joint adventure” Bikessauros-Flamengo, devidamente trajados com o uniforme do “Mais Querido”), que aceitaram o desafio de atingir aquele “reduto carioca” no sul das Gerais. O dia seguiu nublado, com o sol mostrando a sua face em alguns pontos do árduo percurso, que começou no caminho de terra para a Flora, a chamada Trilha do ET, seguiu pelo asfalto a partir do trevo de Três Corações, na rodovia Fernão Dias, até o bairro de Santa Teresa, naquela cidade, único trecho de asfalto do percurso, onde acessa-se a estrada de terra para Conceição do Rio Verde, a aproximados 40 Km. Ainda no primeiro trecho até o citado trevo, a quebra de um raio da bike do Hebert, que provocou um grande empeno em sua roda traseira (da bike) e que até o freio teve que ser desativado, atrasaria bastante o grupo. Uma bicicletaria próxima a uma padaria, onde os sauros aproveitaram para um "pit stop", executou o serviço. Já passavam das onze da manhã quando os intrépidos retomaram o caminho, em direção ao Rio Verde.
Serpenteando por entre as matas, cafezais e milharais, guiados pelos "GPS" do Hebert e do Rodrigo, na quarta participação de ambos nesse pedal, todos estavam atentos ao momento de abandonar a estrada principal, a fim de seguirem para a travessia do Rio Verde, próximo à Estação de São Thomé das Letras. Ao sinal dos dois guias desceram todos à direita, e após percorridos perto de 8 km entre milharais, achando estarem próximos ao rio, na verdade, chegaram a um brejo. Notando que estavam fora da rota, tiveram que voltar até a estrada principal, pois a verdadeira saída estava um pouco mais à frente. Foi nesse momento que os intrépidos perceberam que os tais GPS estavam com defeito (e que falta fazia o Caxambu). Agora, no caminho certo o grupo voltou a se animar. Passaram entre pinheiros, cercas eletrificadas e algum barro, devido às últimas chuvas. Foi pouco antes do Rio Verde que o Luizão foi forçado a comprar um belo lote, em local bem plano e arborizado: um galho entrou na roda dianteira de sua bike e cataplam! Tá lá o corpo estendido no chão! Mais o pior ainda estava para acontecer: chegando à beira-rio para a travessia, onde estava a balsa, ou a canoa? Souberam um pouco mais à frente que ambas foram arrastadas pela força das águas e que deveriam estar em Três Corações, naquele momento. Sem como poderem atravessar o rio, a solução foi se informarem e seguirem para Conceição do Rio Verde pela estrada principal, que daquele ponto estava a 25 Km de distância. Muitas subidas marcaram esse trecho. Com os cateyes marcando redondos 100 Km os intrépidos chegaram ao primeiro destino. Não se sabe se foi devido ao peso das camisas. Na verdade, acredita-se que os problemas e desencontros até ali tenham minado as forças da equipe rubro-negra, pois em Conceição do Rio Verde os quatro jurássicos resolveram ficar e seguir para São Lourenço resgatados pelo apoio comandado pelo Ary, para aguardar, junto com o Clevinho, o outro apoiador, os três Bikessauros que, admiravelmente, resolveram continuar a empreita. Assim, pouco antes das 19 h, com os cateyes marcando pouco mais de 146 Km, Herbert, Rodrigo e Silas, da Tropa de Elite Jurássica, “ossos mesmos duros de roer”, chegaram ao destino para o abraço e comemoração.








A caminho da rod. Fernão Dias, entre a Flora e Três Corações.



O "pit stop" na padaria em Três Corações e o Totonho posando numa agradável mercearia, que poderia se chamar mesmo São Judas Tadeu, padroeiro do Mengão.







Acima, dois momentos fora da rota, aproximados 16 Km.



E dois momentos do Luizão: pelando forte e após "comprar um plano e arborizado terreno" próximo ao Rio Verde. O pior estava para acontecer: a balsa e a canoa não estavam lá.






Relaxando descontraidamente em São Lourenço, aguardando a Tropa de Elite Jurássica.






E a chegada dos três que foi comemorada com louras geladas; e o registro do feito no cateye.

O retorno da Equipe Bikessauros-CRF e o Ary operando o sauromóvel.

2 comentários:

Anônimo disse...

Belo relato Luizão.
Parabéns a todos que concluirão mais uma aventura jurássica.
Tanto os 100km da equipe rubro-negra quanto os 146km do trio osso duro de roer, demonstram a união e a garra de um grupo que sempre liga pensamento à ação.
Abraços, Ronaldo.

Anônimo disse...

Vejam só, o Luizão está de volta, tanto firme no pedal quanto brilhante nas palavras!
Valeu, Luizão, pelo relato e pelo retorno.

Rodrigo Silva