sexta-feira, 22 de agosto de 2008

O Tradicional Pedal Noturno Quartiano - 20ago2008

Além dos treinos que ocorreram durante a semana, pois serão mais de 10 os Bikessauros que disputarão o Iron Biker, em outubro, mantendo a tradição, Rodrigo, Clevinho, Júnior, Pantufa e Luizão fizeram um rápido e forte pedal, que incluiu Ventilador, Estevinho, Posses, Subidão do Borjão, De Luca, matas e cafezais e Martins, e que foi comemorado no Pingüim, patrocinador e choperia credenciada, com a agradável presença do apoiador-mor dos Bikessauros, tio Hugo Foresti.



segunda-feira, 18 de agosto de 2008

O Pedal no Final de Semana - 16 e 17/08/2008

No final de semana ensolarado teve pedal para todos os gostos.

Sábado, mais cedo, às 7 h da manhã, a Equipe Amigos do Urso: Jeffinho, Argentino, Salvador e Ronaldão reviveram A Volta de Pontalete, aproximados 100 Km.


Teve treinos secretos para Iron Biker, que acontecerá em outubro, protagonizados pelas duplas Silas e Rodrigo e Ronaldo e Lico. Esta última, com a participação especial do Júnior, optou pelo longo Usina do Xicão, 150 Km de pedal.
Do bikeponto, na Praça da Fonte, as bikessauras, treinando para a jornada de outubro: Aparecida - Agora é que Elas III, Luísa, Cristiane, Andreza, Miriam, Silvana, Carol e Luciana, acompanhadas do Caxambu, João Paulo, Mauro, Bonfim e Sopão, zarparam às 8 h para A Volta de Monsenhor Paulo, iniciando pelo Solúvel e retornando pela Walita, algo em torno dos 65 km, que foi comemorado, claro, no Pingüim.



No mesmo horário, evitando, sobretudo, a poeira e o asfalto, Timba, Ney e Luizão zarparam para Carmo da Cachoeira, num percurso misto com muitas trilhas, buscando subidas fortes que chegaram a um total de 2.250 m de ascendência, que na ida e na volta não repetiu um único metro do percurso de 85 Km, e que teve 6 consertos de pneus. Além disso, um galho na descida do Carrapateiro, na volta, por pouco não detonou a transmissão e tirou o Luizão do pedal.


No domingo, com certeza teve treinos secretos nos arredores da Princesa do Sul.
Suspeita-se que o Clevinho fez um pedal solo, pois não se tem notícia de concentração no bikeponto.
Luizão, esgotadas as tentativas de contatar o Clevinho, por sorte, encontrou e acompanhou o casal Hebert e Claudinha, num completo e eficiente Solúvel de 40 Km.


Até a próxima pedalada.

Luizão

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Quarta Nobre - 13/08/2008

Mais tradicionais do que rótulo de Biotônico Fontoura, quatro bikessauros saíram na noite Varginhense, para um eficiente Solúvel Full On Night de 1:35 h, até o Pingüim, onde Ronaldo, Clevinho e Luizão, puderam "mudar uma fase" na promoção da AMBEV de quarta-feira (pague três cervejas e ganhe uma), já que o Júnior, seguindo recomendações da Damaris, foi direto pra casa.

"Um brinde à incrivel lua que acompanhou os intrépidos!"

Ah, sim, Clevinho e Ronaldo estrearam uma das novas camisetas jurássicas 2008, assinadas pela designer de moda Sandra Alcântara Jr

terça-feira, 12 de agosto de 2008

A Volta do Rio Palmela - Acompanhando as Bikessauras

O sábado, dia 9 de julho de 2008, amanheceu sem sol, mas também sem chuva. Portanto, perfeito para o pedal. Próximo às 8 h da manhã, dois grupos zarparam do bikeponto: um masculino, em tese, que debandou pros lados de Monsenhor Paulo, a fim de fazer a Mutuca Full On Day, sentido horário; mas também teve charme e beleza nos caminhos de Varginha e arrabaldes, as bikessauras, que programaram durante a semana fazer a Volta do Rio Palmela (Batatinha, para alguns), que incluiu a Walita, as Pereiras, Olhos D'água, Zé do Coelho, Japão, Zé do Pato, circundando as duas margens do Rio Palmela, somou o Paiolzinho e trilha da Cachoeira do Solúvel, num total de aproximados 60 Km.

Este último, que foi compartilhado pela Luísa, Alessandra, Miriam, Silvana, Luciana e Cristiane, acompanhadas do João Paulo, Mauro, Sopão e Luizão, foi pontuado por três grandes momentos, além, claro, da bela paisagem e das trilhas inéditas. O primeiro momento foi o providencial furo do pneu traseiro da bike da Luciana, na comunidade de Olhos D'água, em que os intrépidos e intrépidas desgustaram dulcíssimas mexericas (mandarinas, como conhecem os amigos do Chile), gentilmente cedidas por um garoto muito jóia; um bom momento também foi a parada de quase uma hora no Zé do Pato, para saborear seu famoso bolinho de mandioca feito na hora; agora, o mais divertido foi o terreno (com muita água) comprado pelo Luizão ao tentar atravessar um alagado na trilha da Cachoeira do Solúvel, capturado pela objetiva alerta da Luísa, e que levou as sauras ao delírio.


Claro, essa tinha que ser a primeira foto do relato.








O fato que as meninas estão se preparando muito bem para o desafio de Aparecida, em outubro. Notóriamente, vem crescendo o ritmo de suas pedaladas. Tem sido um grande prazer acompanhá-las em seus pedais.

Até a próxima pedalada.
Luizão

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Prova de ciclismo em Varginha - 10/08/08

Amigos quero de coração agradecer aos companheiros que estiveram neste domingo na mina do Campos Eliseos, mesmo sendo dias dos pais. Fiquei muito feliz e quero dizer que só completei a prova devido a presença e apoio de vocês(pensei várias vezes em desistir). Passei muito mal durante a prova. Senti muito o percurso em subida, porém fico tranquilo, pois mesmo com o resultado que não foi tão bom me esforcei ao máximo dentro das possibilidades daquele momento.
Quero expressar minha especial gratidão ao Salvador que me colocou em condição de disputar a prova. Valeu Horse!!!.

Resultados:

Chicão 1º na eleite com Joléa(Três Pontas) em segundo(chegada emocionante)
Caxambu 6º na Master
Adilsão 7º na Master
Bruno 2º na Infantil (chegada emocionate decidido no sprint final)
Everton (Zerinho) 1º na MTP Open


Muito Obrigado.

Caxambu

Vacaciones de Invierno - Segunda Parte

Tendo retornado ao Brasil, Luísa, Luizão, Lucas e Raquel, partiram para a etapa mineira das férias, seguindo, na quarta-feira, dia 23 de julho de 2008, para a cidade de Rio Pomba, na Zona da Mata, terra da Luísa e dos antepassados do Luizão, onde o casal, acompanhados do Carlinhos (Ciclovulcano), protagonizariam célebres pedais: Cemitério Velho, Descobrindo Silverânia e Volta da Igrejinha, totalizando cerca de 170 Km (100% terra), que incluiu fortes subidas e descidas longas e radicais.

Na quinta-feira, partindo da cidade de Tocantins, onde moram os pais da Anamaria, esposa do Carlinhos, distante uns 15 Km de Rio Pomba, os três intrépidos percorreram, num pedal inédito e digno do deleite do mais radical jurássico, a Serra dos Pires e Cemitério Velho. Na volta, descendo em direção a Bom Jardim, numa longa, sinuosa e arborizada descida, o "cateye" da bike do Luizão registrou a máxima de 64 Km/h.





A sexta-feira também prometia um pedal inédito. Partindo de Rio Pomba, Carlinhos e Luizão seguiram para o Povoado de Bom Jardim, a fim de subir a longa descida da véspera, passar próximo ao Cemitério Velho e encarar a mais radical e técnica das descidas em direção à cidade de Silverânia, tudo entre belas paisagens, que inclui mata nativa, florestas de pinheiros e eucalíptos.




Já no sábado, 26 de julho, o casal jurássico zarpou para o tradicional pedal ancestral, A Volta da Igrejinha, percorrendo a região onde, um século atrás, o avô materno do Luizão, o tropeiro Luiz Augusto do Carmo, tangia suas mulas.
Que pena! Domingo era o último dia de férias e ainda havia tanto ainda por fazer.
O consolo era que estavam retornando para o reduto jurássico, de onde já sentiam saudades, para a retomada de outros tantos pedais e aventuras.
Por enquanto é só. Até a próxima!
Luizão

domingo, 10 de agosto de 2008

Vacaciones de Invierno - Primera Parte

Nas férias deste julho de 2008, Luizão, Luísa, Lucas e Raquel resolveram visitar os amigos do Chile, onde chegaram por volta das 23 h, horário local (menos uma hora de fuso), do dia 12 de julho, um sábado. No aeroporto Arturo Romero Benítez, para recebê-los com abraços calorosos na noite gelada de Santiago, lá estavam Johanna, Jorge, Humberto e Victor, que os levaram para o Hotel Maria Angola, no charmoso bairro da Providência, entre as estações do metrô Manoel Montt e Pedro de Valdívia, sabiamente indicado pelos anfitriões e logo aprovado pelos visitantes.

Após a noite de descanso, o domingo reservava surpresas agradáveis. Primeiro, um passeio matinal no Cerro San Cristóban, que incluiu a incrível subida no elevador Funicular, donde avista-se toda Santiago, estendida entre as duas cordilheiras, dos Andes e da Costa. Em seguida, todos seguiram para o shopping, conforme previamente programado, para adquirir as roupas e acessórios apropriados para o clima local e para os prometidos e esperados passeios e trekkings na neve.



A segunda-feira foi deleitada entre um passeio no movimentado centro da capital, no Cerro Santa Lucia, acompanhados da amiga Johanna, que culminou com o almoço no Mercado Central, e que incluiu a famosa sopa de mariscos, e o encontro, à noite, com Humberto, Pato Duarte, Rodolfo, Jéssica, Andrés e dom Victor num bar da Providência, num agradável clima de confraternização.



O primeiro contato dos brazucas com a neve aconteceria na terça-feira, quando foram a El Colorado, uma charmosa estação de esqui. Passeio combinado por dom Victor, que inclui uma viagem de van por sinuosas estradas. É difícil explicar a emoção de se estar a mais de 2 mil metros de altitude, com um tremendo e ensolarado cenário à frente, sentir a maciez da neve sob as botas, tocá-la, afundar-se, deitar-se (por segundos, claro) e, sim, acertar o outro em cheio com uma redonda, e nem sempre tão fofa, bola de neve. Simplesmente i-n-e-s-q-u-e-c-í-v-e-l !



Passeios pelo litoral do Pacífico também estavam nos planos dos anfitriões. E em grande estilo, pois, ainda na terça-feira à noite, Pato Duarte levou-os para a sua casa de veraneio em Punta de Tralca, toda de madeira de pinus, como é comum na região. Lá, os quatro tiveram uma doce acolhida por uma especial e bela família: Pato, sua esposa Mariana, seu casal de filhos, Francisca e Rodrigo e a vovó. Convivência e intercâmbios interessantes.



Como a quarta-feira guardava um feriado para os chilenos, por volta das 11 h da manhã, começou a chegar os demais amigos. Rodolfo, Boris, Raul e Luchito, encaram os aproximados 110 km de bike. Um churrasco (assado como é conhecido por lá) foi preparado, regado a vinho, cerveja e um delicioso “consumé”, uma sopa que leva caldo de frango, ovos e legumes, uma delícia. Na tarde que começava a nublar, o grande grupo ainda sairia para uma caminhada num belo parque litorâneo, aproveitando cada momento, cada paisagem, inclusive a chuva gelada de desabou no retorno à casa de Pato e que ensopou todos, que tiveram as roupas secas num providencial “calefador”, enquando sorviam vinho nacional (do Chile, claro) e doses de Run, para esquentar.



A quinta-feira reservou uma boa caminhada até Isla Negra, para uma visita à casa do poeta Pablo Neruda, morto em 1973, transformada em museu e visitada pelos bikessauros em 2005, e que guarda interessante acervo de suas coleções de máscaras de embarcações (esfínges), barcos em garrafas e conchas, entre outras, demonstrando sua grande paixão pelo mar. Após o almoço, nada de descanso (e quem queria?), foram todos passear na charmosa Viña del Mar e na histórica Valparaíso.



Muito mais aventuras os aguardava. Sábado bem cedo, conduzidos por dom Juan, cinco amigos que estiveram no Brasil em janeiro deste ano: dom Victor, Jorge, Johanna, Rodolfo e Humberto, acompanhado de sua filha Daniela, passaram no hotel para pegarem Luísa, Luizão, Lucas e Raquel, ávidos por mais neve. O destino era uma casa de pedras em El Morado, no Vale del Maipo, lugar onde os bikessauros estiveram pedalando em 2005, porém no verão, sem neve.
Agora, o que se via era neve espalhada por toda parte. Uma bela visão. No mesmo sábado rolou o primeiro trekking, em direção ao vulcão San José. Incrível! Que terminou com delicioso “consumé”, Pisco Sour, um festival de vinhos e assados e uma garrafa de Havana Club (mi Cuba querida!). Olha, nem deu pra sentir o frio da noite.



Domingo, novo e imperdível trekking em direção ao Pico El Morado e Laguna Morales, e neve, claro, muita neve. Só não deu para cumprir o objetivo, pois a meio-caminho da laguna, a paisagem começou a embaçar, dando início a um vento gelado. Pequenos flocos de neve começaram a cair do céu. Sim, estava nevando. Era uma neve incipiente, mas estava nevando. Era o que faltava para coroar aquele momento. Sabiamente, prevendo uma queda brusca na temperatura, os amigos-guias resolveram abortar o trekking e retornar a base, onde um repeteco dos comes e bebes da véspera esperava o grupo.



A segunda-feira, pré-retorno ao Brasil, foi reservada ao descanso e um derradeiro passeio ao centro de Santiago, além de um doce encontro à noite no restaurante Fogón, na Providência, para despedidas. Ah, despedidas... Tudo passou tão rápido...



A família Martins-Nogueira tem muito a agradecer pelos momentos inesquecíveis passados no belo território chileno, em especial, aos amigos Jorge, Johanna, Humberto, Victor, Rodolfo, Pato Duarte e sua esposa Mariana, pela acolhida, amizade e paciência (sobretudo nas compras) .

"Estos momentos son para siempre em nuestros recuerdos. En nuestro país estamos siempre dispuestos a recibirlos con los brazos abiertos".

Saludos!

Luizão, Luísa, Lucas e Raquel