sábado, 13 de dezembro de 2008

Bikessauros e Ciclovulcanos na Estrada Real - nov2008

Final de semana incrível, inesquecível, esse último de novembro de 2008, e que fechou o ano jurássico em grande estilo, com a travessia da mística e enigmática São Thomé das Letras à histórica Carrancas, cidade do início do século 18 que faz parte da Estrada Real, caminho velho, que liga Diamantina (antiga Tijuco) a Parati, no litoral sul carioca, e que foi responsável pelo escoamento da produção de ouro e diamantes das Gerais.

Na sexta-feira, véspera da aventura, na noite fria de São Thomé das Letras, cuja lenda diz existir um túnel ligando-a a Machu Pichu, no Perú, o animado grupo saiu em caminhada nas ruas de pedras, que incluiu uma pizzaria também de pedra e contou com prazerosa presença do sauro Rodrigo Silva, que mesmo não podendo acompanhar o grupo, pois tinha compromisso profissional (ô dó), foi prestigiar o encontro. O registro dessa noite pode ser conferido nas belas fotos tiradas pela experiente objetiva de Dom Luciano.






Trecho inédito para a maioria, os 68 Km percorridos no sábado, 29 de novembro, foram protagonizados pelos Vulcanos: Carlinhos Nogueira (irmão do Luizão), Dom Luciano Di Natale, Paulo Flora, Marcelinho Lopes e Renatinho “Tendinha”; e pelos Bikessauros: Rodrigo Caxambu, Ary Alcântara Jr, Luiz Bonfim, Luizinho Reis, Clevinho Gouveia, Jotinha Reis, Luizão e Luísa Bomtempo, esta representando as Bikessauras. No apoio, nas 4 X 4, Sandra Reis Alcântara Jr, acompanhada da Anamaria Nogueira, e Roselene Reis, acompanhada de Disireé, filha do Bonfim, deram show de pilotagem entre as montanhas da região, cujos caminhos reuniu pedras, areia, cascalho e algum barro, além de belíssimas paisagens.

A foto da partida e o grupo em movimento a caminho de Sobradinho.

Os vulcanos Carlinhos e Marcelinho na Cachoeira da Lua; um apoio cheio de charme.

Em Sobradinho; e o apoio em ação.

Luizão botando o "macarrão" na roda traseira do Clevinho. Casal simpático esse à direita, não?



Uma parada em Estação de Carrancas, a 14 Km do destino, e desfrutando do Rio Capivarí. Ah, sim, Clevinho (Cascão) nem chegou perto da água.

Por volta das 14:30 da tarde, o grupo chegava ao destino, para efusiva confraternização, primeiro em frente a Igreja Matriz, depois em frente à Pousada Roda Viva, junto com os demais amigos e familiares que seguiram de carro, entre eles, as pocenses Luciana Flora e o pequeno Henrique, Alessandra, Lucas e Alexandre, as bonfetes Norma (a chefia), Bianca, Melissa, e a amiga Ana Cláudia, e ainda, para surpresa geral, Silas, Alessandra, Túlio e Caio, que devido a compromissos haviam desistido da aventura, acompanhados de Cristiane Caxambu.

A bela Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição das Carrancas, de 1736, e o marco da Estrada Estrada Real, que mostra a localização da cidade (note o círculo vermelho com a seta).

Confraternizando diante da Pousada Roda Viva...


E num aconchegante restaurante local.
Sim, você acertou, na foto à direita é ele, Santa Claus (o Bom Velhinho), ele contou ao grupo que para fugir do frio polar (com a idade ele tem se tornado insuportável) tem passado os verões no Brasil, e que tem deixado os viadinhos numa pitoresca cidade do Sul. Quanto ao restaurante, contou que resolveu diversificar a atividade em função da crise.

Outra surpresa marcou esta aventura: o contato imediato do 3º grau com um novo amigo jurássico, Marcelo, ciclista de São João Del Rey, que ocorreu próximo à entrada da Cachoeira da Fumaça, na chegada a Carrancas, e que tem uma casa no lugar. Grande conhecedor dos caminhos e trilhas que circundam a histórica e antiga cidade, conforme prometido na véspera, guiou o grupo no domingo, num incrível pedal matinal, agora abrilhantado pelas ciclistas pocenses: Anamaria, Luciana e Alessandra, pelos jovens Alexandre e Lucas, e ainda, pelo bikessauro Silas e bikessaura Alessandra. Até o pequeno Henrique pode dar algumas pedaladas no trecho.

O animado grupo na partida para o irresistível pedal de domingo, guiado pelo Marcelo, à direita.


Carlinhos e Luísa curtindo o caminho no dorso da montanha sobre Carrancas; "no meio do caminho havia uma pedra, havia uma pedra no meio do caminho...", e travou o câmbio dianteiro da bike da Anamaria.


Admirando a bela paisagem; o grupo na "Teta", já próximo da Cachoeira do Coração, abaixo.


Enquanto uns se refrescam nas águas diáfanas e numa "bacia" natural, à esquerda, outros apreciam a beleza do lugar.


A Cachoeira da Zilda; é, ameaçado, ou melhor, desafiado, o Cascão (Clevinho) radicalizou: pulou de uma altura de, vejamos, 4 metros, no que foi acompanhado pelo jovem Alexandre e pelo Luizão.

Após um lauto almoço encomendado pelo Marcelo, o entusiasmado anfitrião, e bikes atadas aos sauromóveis, o grupo iniciou a viagem de volta pra casa em que, com certeza, cada um pode relembrar cada momento compartilhado e pensar em novos projetos para 2009.


Até a próxima aventura!
Texto: Luiz A Nogueira
Fotos: Dom Luciano Di Natale, Renato "Tendinha", Marcelinho Lopes, Alessandra, Sandra Reis Alcântara Jr e Luizão

5 comentários:

LUCIANA disse...

VALEU MUITO MESMO, FOI MARAVILHOSO.....
ESTOU ESPERANDO VCS EM BOA ESPERANÇA NO FIM DE SEMANA DO DIA 17 DE JANEIRO.
UM GRANDE BEIJO E FIQUEM COM DEUS.
LU

Anônimo disse...

Excelente relato, Luiz. Fico feliz pela maravilhosa integração dos Bikessauros com os Vulkanos, ao mesmo tempo que constato mais uma vez que perdi um evento fantástico.

Rodrigo

Anônimo disse...

Luizão... O perfeito relato me permitiu reviver a alegre sensação de percorrer estas trilhas das "Gerais"... Abraços, Ary

Anônimo disse...

Muy Lindo paseo amigos
Saudades de Vocês
um grande abraço pela vocês

Beto disse...

Parabens Amigos Bikessauros e Ciclovulcanos
Estan muy lindas sus fotos
añoransas de estar com Vocês
Muitos Abraços e feliz Natal

Humberto
Santiago CHILE