domingo, 21 de dezembro de 2008

Trilha do Defunto em São Tomé das Letras


4 intrépidos aceitaram o desafio de fazer a fantástica Trilha do Defunto em São Tomé das Letras. A animação do grupo venceu a dúvida de chuva forte prevista para o sábado (nunca mais confio no climatempo, rs.) e Argentino, Jeffinho, Salvador e Ronaldo partiram para a cidade de pedra ás 07h em ponto. Apropriadamente acomodados no carro, flamenguistas na primeira fila e vascaínos na segunda, a viagem foi tranqüila a bordo do golfmóvel com parada garantida na padaria credenciada em Três Corações.
Pela manhã o clima estava perfeito. Poucos raios solares raiavam do céu povoado por nuvens. Pássaros de diversas cores e tamanhos cruzavam perigosamente o caminho do sauromóvel abrilhantando ainda mais a viagem. O som escolhido para a viagem foi The Way of Ch´I, energia espiritual, bem apropriado para o clima que envolve a mística São Tomé.
E aí Jeffinho a bike é leve mesmo!!!!

Desde Três Corações, um dos intrépidos começou com contorcionismos estomacais, em outras palavras, o urubu estava picando. Ao ser questionado disse que seu auto-controle seria suficiente para a chegada em São Tomé. Pobre do recepcionista de um hotel local, ao ver um vulto passar pela sua recepção e incendiar a recepção e o apartamento ocupado por um hóspede. Sem palavras, sem negociação, as plantas da praça central, por alguns minutos provaram seu um cheiro estranho.Preservaremos o nome do intrépido, mas foi uma “cagada” cavalar....
De volta ao pedal, 09 horas em ponto, o quarteto partiu para as trilhas que em dias secos já são difíceis, imagine molhadas. O medo maior era a cava após a saída da mata. Para nossa felicidade um caminho alternativo foi produzido pelos nativos e tornou o pedal ainda melhor.
Claro que a parada tradicional no Jet Sky Jurássico não pôde faltar. Logo após o degrau de alto nível técnico foi vencido por todos. Inclusive, Argentino, mostrou sua superação vencendo seus medos e merecendo a foto deste momento histórico. Durante todo o pedal o Pico do Gavião estava na alça de mira dos bikessauros. Imponente formação rochosa, formada entre a era paleolítica e mesozóica, onde os trilobitas povoavam esta área, blábláblá...
A esquerda Jeffinho e a direita Argentino. Show de técnica.

Após a parada no Pico do Gavião para lanches, fotos e meditações , o quarteto em seus cavalos de alumínio e carbono, iniciou o caminho de volta pela mesma trilha.
Campos verdejantes e floridos. E o trio a beira do precipício
Horizonte e Ronaldinho equilibrando na cruz.
Argentino contemplando o infinito e mais uma foto do Pico.
É impressionante como o caminho se mostra totalmente diferente. O degrau após o Jet foi escalado com maestria pelo Salvador e Jeffinho. Na ida, o obstáculo no início da trilha até então vencidos pelo Xtr e Pantufa, desta vez foi superado pelo persistente Salvador. Aplausos de pé. Enfim, cada um superou e muito seus limites e medos.
Pouco ralados e muito felizes os bikessauros chegaram na cidade por volta das 14h onde decidiram por tomar um refrescante banho, em outro hotel, é claro, pois o filme estava queimado no outro. Antes, é claro, umas cervejas geladas para comemorar. O motorista, é claro, se conteve para não ultrapassar o limite alcoólico previsto em lei. Um capítulo a parte foi o almoço no Restaurante Sinhá, credenciado do grupo, onde reencontramos a simpática dona do estabelecimento, Dona Lucila. Restaurante feito de pedras, com 250 anos de idade e tombado pelo patrimônio histórico. Comida mineira no fogão a lenha, um chuá.
Mais um tranqüilo retorno até Varginha e cada um chegou feliz em seu lar após 35 km de pura adrenalina na veia.
Seguem alguns depoimentos trocados a noite via celular:
“Fecho os olhos e imagino as trilhas maravilhosas que fizemos hoje. Obrigado por mais uma vez ligar pensamento à ação” – Ronaldinho
“Parceiros, o passeio foi fantástico e a companhia maravilhosa. Valeu! Febre do urso, urso, urso....” – Argentino
“Valeu irmãozinhos. O pedal foi fenomenal e sem sombra de dúvidas, no meu caso, o melhor do ano. Agradeço a companhia e o empenho de todos.” – Jeffinho
“Obrigado a todos pela ação realizadora.” – Salvador.

Abraços, Ronaldinho.

6 comentários:

Anônimo disse...

Puxa vida, que pedal sensacional, pessoal! Queria muito ter ido mas, infelizmente, não foi possível. Aguardo nova oportunidade. Espero as fotos. Parabéns a todos.

Rodrigo

Humberto disse...

Ola Amigos Sauros
Belo relato do Ronaldo
Eu recuerdo muito bem a Ciudad de Sâo Tome das Letras e Ciudad de Três Coraçao, es un Belissimo passeo, son muy lindos recuerdos

Parabens Amigos
Um Grande Abraço

Reginaldo disse...

Parabéns aos Sauros participantes de mais esta aventura na cidade sagrada .......

Jeffinho disse...

Esse pedal foi realmente um grande desafio pelas condições do terreno e em função do período chuvoso. Foram degraus de pedras e trilhas, tudo muito escorregadio, mas ao final veio a recompensa devido à energia daquele lugar.

Obrigado a todos pela companhia e oportunidade.

Semana que vem tem mais São Tomé...

Patricio disse...

Que buenos recuerdos se vienen a mi mente de este lugar y lo bien que lo pasamos junto con los amigos de bikessaurios!!!

Ojalas podramos compartir pronto nuevas rutas y grandes momentos.

Feliz Navidad y prospero año nuevo.

Pato

Anônimo disse...

Flamenguistas na primeira fila e vascaínos na segunda ficou ótimo!
Aposto todas as fichas que o cag... da vez foi o Jeffinho.
Parabéns ao quarteto pelo sempre sensacional pedal!
Abraços,

Luizão
Rio Pomba - MG