segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Pedal de sábado - Trilheiro até Carmo da Cachoeira com retorno pela Torre da Embratel

Sábado, último final de semana antes da romaria ciclicista Varginha até Aparecida, o bikelocal estava lotado. Todos treinado para melhorar o condicionamento físico. O dia ensolarado prometia. Vários grupos se formaram e partiram para destinos diferentes.

Relato 1:
Nosso grupo iniciamente formado por Maciel, Silvana, Silas, Alessandra, Rodrigo Silva, Timba, Marcelo, Totonho, Luiz Cláudio (Bregalda), Clevinho, Luizão e Ronaldão partimos para Carmo da Cachoeira por trilha.
Saimos pela Vargem, depois Granja, trilhas até estrada dos Martins, trilhas do Carrapateiro, subimos até o alto dos De Luca, seguimos reto e por trilha até estrada para o Ribeirão da Cava.
Lá o grupo se dividiu, Maciel, Silvana, Silas, Alessandra e Rodrigo Silva preferiram subir o Ribeirão da Cava e retornar para cidade.
Rápido reabastecimento na venda do seu Hamilton, credenciada dos bikessauros e o grupo saiu pela subida do café ao lado da venda. Trilhas no pasto e chegaram na estrada de terra que vai para Carmo da Cachoeira. Próxima a fazenda com sua casa centenária Ronaldo e Totonho se aventuraram em uma descida fantástica batizada de "Descida Bezerro do Carmo". Lembra muito a extinta Descida da Caveira. Muito legal.

Totonho na Descida Bezerro do Carmo.

O grupo chegou rápido em Carmo da Cachoeira, se alimentou e partiu por terra até a Torre seguindo ao lado do cemitério. Em certa parte do percurso, o grupo esqueceu de virar a direita e seguiu por terra até o pedágio. Bem, se tem que errar que seja para mais.
Seguiram por terra novamente e lá estava ela. Imponente, magestosa. A subida da Torre da Embratel, foi vencida com louvores por cada Bikessauro e Criatura a seu tempo. A temperatura passava dos 35.o naquele momento.



Chegada no alto da Torre da Embratel.
A descida da torre foi fantástica, muita técnica com vários troncos e cipós pelo caminho. Agradecimento especial ao grupo bikessauro-bikessaura que passou antes e limpou um pouco a trilha. Mais um pit-stop na venda dos Tachos e ritmo constante até a city.
Pedal com P maiúsculo foi comemorado no Pinguim, afinal foram 90km com quase 2.000 de ascendência total.
Parabéns pela valentia de todos e destaco a grande performance do Luizão que pedalou forte. Está de volta aos pedais longos. Valeu parceiro.
Este é o relato.
Abraços, Ronaldo.
Relato 2:
Dando continuidade ao relato do Ronaldo, o grupo formado pelos bikessauros Mauro, Sr. Justos e Delei e as bikessauras Luisa, Luciana e Miriam partirão rumo a torre da Embratel. Um pedal com uma boa dose de companheirismo, descontração e aventura. Começando pela subida radical em meios ao cafezal em que os nossos companheiros e guias Mauro e Delei nos levou, depois de errar o caminho. E então chegamos ao nosso destino a torre da Embratel. Optamos então por descer pela trilha o que tornou o pedal ainda mais radical ao nos depararmos com alguns obstáculos. Os meninos, como sempre muito gentis, desbravaram os cipós entrelaçados que interrompiam nossa passagem e deram caminho ao destemido grupo. Tivemos o prazer de encontrar, na venda dos Tachos, com nossos amigos Marcelo, Silas, Silvana e Alessandra que tomaram um rumo diferente do seu grupo inicial com destino a Carmo da Cachoeira. Para concluir deram um thauzinho a este humilde grupo (celulite) e seguiram pedalando forte nos deixando pra trás. Finalmente chegamos a padaria do Santa Maria muito satisfeitos e renovados dos stresses diários.
Luciana

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Comunicado ao participante de AP VIII - Manual de Conduta e Programação

VIII Romaria Ciclística Varginha - MG à Aparecida - SP
Setembro/2009


PROGRAMAÇÃO:

Dia 04/09/09 – Sexta-feira (Entrega da bagagem e dos alimentos – campanha social 01(um) kg ou mais de alimento não perecível)
- 19 h – Missa na Igreja Matriz (Av. Rio Branco – Centro);
- Após a Missa – entrega da bagagem / 01 bolsa por pessoa;
- Local: Do lado de baixo (fundos) da Igreja Matriz (sujeito a alteração).

Trajeto: (sujeito a alterações)

1o. dia = Sábado, 05/09/09 (CAMISETA VERDE E BRANCA)
- 07:30 h – Concentração em frente a UNIMED (Praça Getúlio Vargas - Centro) para fotos, oração e saída;
- 08:00 h - Partida de Varginha - MG / Cristina - MG = 110 Km;
- Asfalto de Varginha até o trevo da Fernão Dias;
- Seguir em direção ao bairro Cotia (Três Corações) (~ 2 km asfalto);
- Virar à direita (Fazenda São Bentinho);
- Estrada de terra e trilha até a cidade de Cambuquira;
- Trecho em terra até Rodovia, trilha até próximo a Lambari, seguindo por terra até a cidade de Jesuânia;
- Misto de terra/asfalto até a cidade de Olímpio de Noronha, seguindo por terra até ao trevo de acesso a Cristina;
- Chegada prevista para as 17h;
- Obs.: A despesas em Cambuquira (Venda de Frutas) e Jesuânia (Padaria) serão pagas pela comissão.

2o. dia = Domingo, 06/09/09 (CAMISETA VERMELHA E BRANCA)
- 06:00 h. - Café da Manhã;
- 06:30 h. - Check-out - Acerto do hotel;
- 07:00 h. - Saída de Cristina - MG rumo à Delfim Moreira/Wenceslau Braz - MG ~ 80 Km;
- Trecho feito em estrada de terra que corta a Serra da Mantiqueira, passando por vários povoados/distritos, com chegada ao destino previsto para as 17h;
- Obs.: Durante a parada na Barra, toda e qualquer despesa ficará por conta do romeiro/ciclista Bikessauro. A Associação não cobre despesas extras.

3o. dia = Segunda, 07/09/09 (CAMISETA AZUL E BRANCA)
- 06:00 h. - Alvorada - Café da Manhã;
- 06:30 h. - Check-out - acertos;
- 07:00 h. - Saída de Wenceslau Braz – Pousada Lageado rumo ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida – Aparecida - SP ~ 80 Km;
- De Piquete até estrada de próximo a Lorena – estrada de terra;
- Asfalto até Aparecida, passando pelas cidades de Lorena e Guaratinguetá;
- Chegada em Aparecida prevista para as 11h 30min = unir para foto oficial.
- O grupo faz suas orações, almoça no Hotel Estação de Minas (ao lado da Basílica) e retorna para Varginha em ônibus fretado.
- Atenção ao guardar as bikes e bagagens no ônibus. Verificar se as janelas estão fechadas. Vale ressaltar que não existe seguro para bagagens e Aparecida é um lugar onde ocorrem muitos furtos em ônibus.

Chegada à Varginha


MANUAL DE CONDUTA:

"Se não temos aptidão para fazer amigos, remodelemo-nos até consegui-la. A solidão só vale como remédio, como jejum - não constitui alimento; o caráter, como Goethe o viu com tanta clareza, só se forma no tumulto da vida. Se nos tornamos excessivamente introspectivos, estamos na senda da perdição, ainda que o nosso negócio seja a psicologia; olhar com persistência excessiva para dentro de nós mesmos é provocar o desastre do jogador de tênis que conscientemente mede a distância, os ângulos e a força dos golpes, ou como o pianista que pensa nos dedos. Os amigos são necessários, não só porque nos ouvem, como porque se riem para nós; através dos amigos conseguimos um pouco de objetividade, um pouco de modéstia, um pouco de cortesia; com eles também aprendemos as regras da vida, tornando-nos melhores jogadores dos jogos que a compõem”.
Will Durant (1885-1981), historiador e filósofo americano, em "Filosofia da Vida"

APRESENTAÇÃO:
A prática do Mountain Bike semanalmente, pelos belos caminhos do Sul das Gerais, com o propósito de manter a mente e o corpo sadios promoveu a união de um grupo em torno de um prazeroso esporte, assim nasceu o grupo Bikessauros.

Movidos pelo espírito esportista/aventureiro e envolvidos num ambiente de confraternização e fé, seguindo o exemplo dos pioneiros, Pirituba o papito, Batiore, Quinzinho e Licão dentre outros, os Bikessauros realizaram nos sete anos anteriores uma romaria ciclística ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida, no Norte do Estado de São Paulo.

Pelo sucesso e satisfação obtidos, o grupo implementou a peregrinação em seu calendário anual de eventos. Cumprindo a agenda, partirão no próximo dia 05 de setembro, com amigos (entre ciclistas e apoio somam 40 pessoas), à Aparecida - SP, unindo-se aos milhares de fiéis que de algum modo, até mesmo a pé, partem por caminhos que os levam à esperança, em busca da paz daquele Santuário e oferecendo suas preces.

Objetivos gerais: promover a prática do esporte, da espiritualidade, da solidariedade; unir pessoas através do pedal; difundir a integração e confraternização, a educação e o respeito ao próximo, a prática do bem, da convivência harmônica com o meio ambiente.

Objetivos específicos: realizar uma aventura esportiva; exercitar o condicionamento físico, a meditação e a capacidade de convivência em grupo, respeitando as opções e os limites do próximo.

Finalidades: desenvolver a consciência coletiva e a consciência ecológica; buscar a paz interior e o desenvolvimento pessoal; alcançar o desenvolvimento mental objetivando o equilíbrio, a serenidade e a humildade.

"O verdadeiro cristianismo rejeita a idéia de que uns nascem pobres e outros ricos, e que os pobres devem atribuir a sua pobreza à vontade de Deus"
"A maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de pensar"
Dom Helder Câmara

Ø CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE
o Doação de alimentos não perecíveis para as crianças do Educandário Olegário Maciel e/ou famílias carentes da cidade de Varginha - MG.

· O grupo repassará todos os alimentos arrecadados em data a ser divulgada.

Você está convidado a ajudar, faça sua doação material e principalmente doe seu tempo e afeto, isto não tem preço.

"Quando a bondade se mostra abertamente já não é bondade, embora possa ainda ser útil como caridade organizada ou como ato de solidariedade. Daí: "Não dês as tuas esmolas diante dos homens, para seres vistos por eles”. A bondade só pode existir quando não é percebida, nem mesmo por aquele que a faz; quem quer que se veja a si mesmo no ato de fazer uma boa obra deixa de ser bom; será, no máximo, um membro útil da sociedade ou zeloso membro de uma igreja. Daí: "Que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita."
Hannah Arendt, em "A Condição Humana"

Estabelecer e seguir regras são premissas para criar uma organização e para que a realização de um determinado evento/viagem/programa obtenha sucesso total. Estar pronto para imprevistos e prever a superação dos erros é fundamental para que tudo ocorra bem.

Apresentamos a seguir tópicos que devem ser observados com muita atenção e comprometimento, para que a viagem de 35 ciclistas e mais ou menos 5 apoiadores seja abençoada e coroada de pleno êxito. Pode até parecer bobeira, mas vale lembrar que estaremos reunidos em um grupo de muitas pessoas.

CONVIVÊNCIA:

Seja no grupo ou com terceiros a prática das premissas abaixo, devem ser sempre seguidas por todos:
- Respeito, Amizade, Tolerância, Paciência, Cortesia, Alegria e Solidariedade;

· Todos devem ser respeitados e tratados com educação, começando entre nós (ciclistas e apoio) e com todas as outras pessoas com as quais cruzaremos pelo caminho;
· Acima de tudo, os idosos e crianças devem ser tratados com cortesia;
· Brincadeiras sadias são super importantes, mas lembrem-se dos limites;
· Respeitar as diferenças é base para a boa convivência;
· Pontualidade e respeito ao companheiro;
· Seja em qualquer ponto de parada evite confusões e supere provocações.

PRESERVAÇÃO

Ø Zelar pela limpeza e higiene de todos os lugares por onde passarmos, principalmente nos hotéis e refeitórios, onde o banheiro deve ser deixado sempre limpo para o outro utilizar.

Ø Jogar o lixo no lixo = carregar o lixo (embalagens de produtos que consumirem) até a lixeira. Não jogue qualquer lixo no chão, seja no campo ou na cidade = Não polua!

Ø Zelar pelos objetos e utensílios do Hotel ou qualquer outro lugar, seja publico ou privado = Não destrua!

Ø Zelar pelo Meio ambiente, desenvolver a consciência ecológica = Não polua!

Ø Preservar os mananciais de ÁGUA = Não polua!

Ø Nunca destrua a natureza = o que está no campo lá deve ser deixado = Não arranque ou danifique as plantas!
Ø Cuidado para não provocar queimadas = PERIGO! O mato está seco nesta época do ano, qualquer fogo pode significar a destruição;

Ø Dissemine a consciência ecológica – a preservação da natureza;

Ø Vocês poderão observar como o homem não está consciente, passaremos por locais que não se poderia permitir o desmatamento;

Ø POLUIÇÃO = Há detritos que se acumulam no planeta e levam milhares de anos para se decomporem, comprometendo todo eco-sistema e por conseqüências a vida de todos os seres da terra.

TRÂNSITO:

Lembrem-se, conduzimos um veículo e estaremos em cerca de 30 ciclistas. Pratiquem as seguintes normas:
Ø Respeito;
Ø Obedeça a sinalização;
Ø Trafegue sempre pela direita;
Ø No asfalto, em rodovias ou ruas, ande em fila indiana ou no máximo de 2x2;
Ø Avise obstáculos ou perigo;
Ø CUIDADO! – sempre muita atenção, também com as bikes.
Estaremos trafegando pelas mais diversas vias e/ou tipos de terrenos, em cada um deles há peculiaridades que devem ser observadas:

CIDADE:
- Obedecer ao sinal vermelho;
- Cuidado com veículos;
- Cuidado com portas;
- Cuidado com pessoas;
- Nunca ande no passeio;
- Nunca trafegar na contramão.

ASFALTO:
- Andar entre os batedores, que estarão à frente e ao final;
- Trafegue na margem direita em fila indiana ou no máximo 2x2;
- Cuidado ao andar no vácuo = atenção quem puxa, não pare de repente;
- Cuidado com caminhões.

TERRA:
- Cuidado nas curvas;
- Andar em blocos compactos = cuidado ao ocupar toda a pista!
- Cuidado (avise) buracos e pedras;
- Evite fechar o companheiro;
Ø Obs.: Nas ultrapassagens, tente perceber se o ciclista à frente tem conhecimento que você irá ultrapassá-lo, em caso negativo, informe o lado pelo qual irá passar (estou a direita ou estou a esquerda).

TRAJETO:
- Quem não sabe ou não lembra o caminho deve ficar próximo de quem conhece.

BIKER:
- É obrigatório o uso de capacete e luvas.

PENALIDADES:
- A comissão resguarda o direito de penalizar o ciclista com uma multa em dinheiro por alguma irregularidade que possa prejudicar a organização do evento. Todo valor obtido será revertido para o grupo em uma ação a ser definida pela comissão.

PROCEDIMENTOS:
· Respeitar os horários e datas, eles são importantes para atingirmos nossos objetivos dentro do planejado;
· Bagagem pessoal única bolsa com etiqueta e nome, exceto as doações;
· Estar sempre atento e pronto para as saídas;
· Check-in / check-out = acerto Hotel: com antecedência (hora marcada) para a saída, antes ou durante o café = procurar pelo apoio responsável. O acerto será feito com ele, somente após todos os acertos é que partiremos.
· Cuidado com a sua bagagem, sempre entregue ao apoio;
· Evite mexer em sua bagagem durante o percurso, será permitido somente em caso de emergência. Procure levar consigo tudo o que possa precisar.
· Cuide da higiene/limpeza dos banheiros, em prol do companheiro;
· Banhos:
- em Cristina, não demore com o chuveiro ligado, a rede é fraca. O ideal é abrir e fechar a torneira aos poucos (ensaboar com a torneira fechada);
- em Wenceslau Braz - Lageado, caso a água fique fria, avise e aguarde por um tempo, até que esquente o reservatório da caldeira;
· Faremos uma oração antes de partirmos (todas as manhãs);
· Em bifurcações esperar/avisar os últimos;
· Evite transtornos, sempre acompanhe o grupo. Disparar na frente poderá fazê-lo perder;
· Chegada em Aparecida: junte-se ao grupo para a foto oficial, missa e acesso ao ônibus. Não se separe do grupo para evitar atrasos.

DICAS:
· Check-list = prepare e revise sua bike; providenciem, câmaras-de-ar reserva; lubrificantes; elásticos para amarrar a bike e proteção para o quadro da bike;
· Cuide de sua bike em Aparecida, coloque-a em local seguro, pois a Comissão não se responsabilizará por quaisquer danos ou perdas;
· Bagagem = roupas de ciclismo para três dias; capa de chuva (lojas de 1,99 têm) agasalho de moletom, pertences de higiene, pomada para assaduras e protetor solar/labial;
· Abasteça com barras de cereais e carboidratos em gel suficientes para 8 horas diárias de pedal, aminoácidos, bananinhas etc.;
· Ingerir bastante líquido, durante e após o percurso;
· Alimentar-se, durante a semana, com bastante carboidrato e açucares das frutas;
· Lembre-se que você está saindo para um pedal de três dias, evite excessos para não atrapalhar sua viajem;
· Quando estiver liderando ou em meio a um grupo que utiliza o vácuo, evite paradas bruscas, esteja sempre atento aos defeitos e obstáculos da pista, desviando-se destes, bem como orientando através de sinais, com espaço suficiente para que os outros o siga sem acidentes;

ESTRUTURA:
- Apoio é feito com três veículos off-road, com seis ocupantes, levando água, isotônicos, lanches, peças de reposição, primeiros socorros e bagagens;
- Apoio médico é feito por 2 bikessauros;
- Pernoite = Pousadas em Cristina e Wenceslau Braz (Pousada Lageado);
- Refeições = nas pousadas; vendas pelo caminho e restaurante;
- 03 camisetas especiais de ciclismo para cada biker;
- 01 camiseta de passeio, para cada ciclista e 3 para o apoio;
- Ônibus fretado para efetuar o retorno do grupo e das bikes;
- Faixa/banner promocional do evento com a logomarca dos patrocinadores, adesivos nos carros de apoio, filmagem e fotos do evento;
- Assessoria de imprensa.

PATROCINADORES E APOIADORES:

Pedimos a preferência, difusão e respeito pelas marcas e empresas que estão nos apoiando.

Ø Unimed – Varginha / www.unimedvarginha.com.br
Ø haduaneira – Assessoria em Comércio Exterior – www.haduaneira.com.br
Ø RN Tintas e Ferramentas – www.rntintas.com.br
Ø Retífica Reis.

"É necessário ter amor pela vida para o prosseguimento vigoroso de qualquer intento"
Samuel Johnson, em "The Rambler"

COMISSÃO AP VIII
BIKESSAUROS
LIGANDO PENSAMENTO À AÇÃO.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Camisas Extras:

Bom dia amig(a)os,

Estaremos coletando os pedidos de camisas tanto de passeio como de ciclismo
até 28.08. Para os interessados seguem as informações:

Camisa de ciclismo:
* Associado R$ 25,00
* Não Associado R$ 35,00

Camisa de passeio:
* Associado R$ 17,50
* Não Associado R$ 25,00

Tamanhos disponíveis: 4,6,8,10,12,14, e 16 anos, PP, P, M, G, GG e EXTRA G.

O pedido só será aceito mediante pagamento em dinheiro antecipando.
Local de pagamento:
* Shimizu Advocacia.
Contato: Patricia
Horário comercial
Rua Argentina, 35, Vila Pinto

Segue a arte em anexo.

Abraços, Ronaldo.
Bikessauros
Ligando pensamento à ação.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

A Volta de Pontalete - Sábado, 15/08/2009

No sábado, dia 15 de agosto de 2009, um dia prá lá de ensolarado, o movimento no bikeponto na Praça da Fonte, em Varginha, era intenso. Mais de vinte intrépidos e intrépidas se preparavam para o grande desafio da Volta de Pontalete, algo em torno dos 90 Km de pedal, treino para as duas romarias, masculina em setembro, a oitava, feminina em novembro, a quarta. Outros intrépidos serpentearam pela Serra da Mantiqueira, num pedal inédito, de Baependi - MG até a cidade de Cruzeiro – SP, estória contada pelo Dr Rodrigo.

O grupo no bikeponto e as meninas, numa pausa no movimento.



Os intrépidos aguardando as meninas numa bifurcação e um ipê, entre tantos que enfeitaram o caminho.


Voltando à Pontalete, parte do grupo resolveu encarar o desafio em seu sentido horário. Seguindo o líder Salvador, quatro destemidos chegaram no limite. Cabendo aqui um trocadilho, o “moreno no limite”, como ficou conhecido em sua última viagem ao lugar homônimo seu, teve até que empurrar um certo intrépido de camiseta amarela (nada a ver com o Tour de France). Não, não, na verdade, camiseta laranja, é isso. Ah, veja a foto da balsa! O destaque desse grupo foi o Serjão, que mesmo sem treinar muito, deixou veteranos para trás. Participaram ainda desse grupo Jeffinho, Ronaldão e Hebert.

O grupo "horário" guiado pelo Salvador, em Pontalete.

O maior contingente resolveu mesmo pelo sentido anti horário, encontrando o grupo contrário exatamente em Pontalete, na balsa. Guiados pelo Luizão e pelo “criatura” Luiz Bregalda, o grupo unissex seguiu serpenteando pelas trilhas a partir do Parque Mariela, cruzaram a estrada do Lagamar e seguiram pela fazenda Jacutinga. Antes da balsa, todos puderam repor as energias no Bar do Deca, com o “alimento essencial” jurássico, o saboroso pão com mortadela (nesse caso, cortada a mão pelo seu Deca – tinha fatia da grossura de um dedo). Os belos ipês amarelos se destacavam na paisagem. Pouco depois do Zoca, após grande tentativa de convencimento pelos guias, que pensavam em sair da poeira e do movimento da Estrada da Barra para Elói Mendes, o grupo desceu à esquerda e seguiu ladeando a represa, saindo na Pamonha, na rodovia entre Varginha e Elói Mendes. Daí, o grupo se separou, com Luizão, Luiz Bregalda e Wagner Sanches retornando, a partir do Pneu, pelo aeroporto; os demais seguiram pelo asfalto, e o reencontro se deu no restaurante Castelli Romani, onde todos puderam reencontar também o grupo “Traíra”, que a partir da Espera, antes do primeiro 1/3 do percurso, seguira na frente e não esperou ninguém. Nas fotos é possível identificar os integrantes desse grupo. Participaram desse pedal, além dos já citados, Mauro, Luciana, Sopão, Míriam, Bel, Clevinho, Ary, Luísa, Carola, Seu Justo, Silvana, Massa, Deyller, Timba, Moc e Ney.

As meninas e o Seu Justo, em movimento.

Na balsa, atravessando a Represa de Furnas. Notem a pose do Clevinho, no cano, dando uma de dançarina de boite. Uuuuuiiii!

Ah, sim, e "os traíras" sendo apontados pelos companheiros, no Casteli Romani.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009


PEDAL BAEPENDI-CRUZEIRO ~120KM


Há poucas semanas alguns amigos haviam percorrido a Estrada Real, Caminho Velho, de Ouro Preto a Paraty e voltaram eufóricos e falando maravilhas de todo o pedal, contando em detalhes cada dia da fantástica viagem que haviam feito. Nesses relatos, chamou-me a atenção o fato de que parte do caminho, entre Baependi e Cruzeiro, seguia muito de perto, quando não ao lado, o leito de duas extintas ferrovias: a E.F. Sapucahy e a Estrada de Ferro Minas e Rio. Um dos grandes atrativos daquele trecho era que passava pelo famoso Túnel da Mantiqueira, que cruza exatamente por baixo a não menos famosa Garganta do Embaú, que era passagem obrigatória para todos os que se aventuravam pelos sertões das Minas Gerais no Brasil Colônia. Essa aventura associava, então, dois mágicos ícones de nosso Estado: a Estrada Real e as antigas ferrovias. Entusiasmado com tudo isso, conversei com o Ronaldo e pedi-lhe que, o quanto antes, pudéssemos reeditar essa aventura. Pouco tempo depois, um e-mail dele propunha alguns pedais de “retorno às origens”, entre eles exatamente esse que tanto me tinha fascinado. Imediatamente liguei para ele e decidimos que o faríamos no fim-de-semana seguinte, planejamos e discutimos alguns detalhes e, com o projeto pronto, fizemos o convite aos jurássicos que tivessem interesse em juntar-se a nós. Adilson, Marcelino, Marcelo, Silas e Totonho toparam a aventura e combinamos, então, a partida para sábado, 15 de agosto, bem cedo. Partimos de carro rumo a Baependi acompanhados pela Andreza, Viviane (esposa do Marcelo) e pelo Perrengue, dos Bikelokos de Boa Esperança e, após uma viagem rápida e agradável, lá chegamos numa manhã excepcionalmente fria para essa época do ano.


No bikeponto


A simpática Baependi


Junto ao primeiro totem, em Baependi

Com muita expectativa, iniciamos a pedalada pelo leito da antiga ferrovia Sapucahy, já há várias décadas sem trilhos, seguimos rumo a Caxambu, rapidamente alcançada e, de lá, rumamos a São Lourenço, 22km distante. Nessa parte do trajeto praticamente não se vêem subidas e as paisagens, como em todo o trajeto, são muito bonitas. Seguimos num ritmo forte, vencendo rapidamente o percurso até próximo a Soledade de Minas onde, por um curto trajeto, abandonamos o leito da ferrovia e metemos a cara por umas subidas fortes que deram o tom até chegarmos a São Lourenço. Antes um pouco, porém, graças a um totem mal colocado, erramos feio e acabamos pegando umas complicadas trilhas morro acima até chegarmos a uma fazenda, onde fomos informados do nosso engano. Àquela altura, nosso amigo Totonho declarou que já sabia, desde o desvio, que estávamos errados, mas que não lhe havíamos dado confiança e, graças a isso, havíamos pego o caminho errado. Investigando a razão de tanto conhecimento sobre o caminho, acabamos descobrindo que ele é parente dos tótens, todos primos seus, e que o seu verdadeiro nome, ao menos na família, é Totótem... Daí para a frente, como os tótens não mentem jamais (bem, quase nunca...), e com a ajuda do nosso amigo Totótem, não houve mais erros. São Lourenço surgiu, imponente, sobre montanhas e foi rapidamente deixada para trás, sempre por terra, rumo a Pouso Alto, São Sebastião do Rio Verde, Capivari e Itanhandu. Esse trecho é repleto de grandes e perigosas descidas cascalhadas, tanto que tivemos dois sauros que quase foram ao chão já bem pertinho de Pouso Alto. Também perto de Pouso Alto, uma pequena ponte de madeira estava em ruínas, obrigando os sauros a um belo exercício de equilíbrio sobre uma pinguela cheia de lodo. É verdade que alguns tiveram que ser empurrados para passar por ela, mas isso já é uma outra história...

Totem & Totótem


A caminho de São Lourenço


A bela Mantiqueira ao fundo


Exercício de equilíbrio

Em Itanhandu pegamos single tracks ao lado da linha da extinta Ferrovia Minas e Rio e seguimos o delicioso caminho até Passa Quatro, onde, havíamos combinado, almoçaríamos e encontraríamos os nossos apoiadores e também a Alessandra e os kidsauros Túlio e Caio, que sairiam mais tarde de Varginha. Deu pena ver, durante todo o trajeto, o lamentável estado em que se encontra a ferrovia que, certamente, se for um dia reativada, terá que ser totalmente reconstruída. Almoçamos com moderação, exceção feita, claro, ao Silas que, como sempre, comeu até não mais poder. Ele justificou-se dizendo que as trutas que foram servidas ali estavam entre as melhores que já havia comido... Logo que terminamos o almoço, constatamos que a hora já era adiantada e não dava para nos demorarmos mais. Na verdade, estávamos mesmo é ansiosos por continuar já que, sabíamos, o mais interessante ainda estava por ser pedalado...



Todo o pessoal antes do almoço


Esplêndida paisagem na subida da serra

Saímos juntos aos trilhos e os fomos acompanhando todo o tempo. Aquele trecho é uma honrosa exceção e encontra-se perfeitamente conservado e com manutenção: é que ali funciona um trem turístico que parte de Passa Quatro e dirige-se até a estação Coronel Fulgêncio, a última do lado mineiro. Fomos percorrendo aqueles quilômetros de suave subida quase em êxtase, tamanha a beleza da paisagem que se via. Após muitos quilômetros, de longe avistamos, muito acima, torres de luz que marcavam a Garganta do Embaú e soubemos, então, que o túnel se aproximava. Ao menos eu e o Adilson sonhávamos poder novamente passar por ele, já que ambos tínhamos feito, durante as nossas infâncias, muitas viagens de trem até Aparecida; com a extinção do trem de passageiros em Varginha em 1978 e em Três Corações em 1991, pensávamos que nunca mais o transporíamos. Quando atingimos a grande reta que o precede, houve uma certa sensação de irrealidade, de que algo fantástico e assombroso se desenrolava: cruzaríamos o famoso túnel outra vez, sim! Registramos, felizes da vida, com fotos e filmes, a sua majestosa entrada e logo começamos a sua travessia. Foram momentos mágicos, povoados por remotas lembranças, com os indefectíveis gritos da gralha dados todo o tempo, marcando a passagem jurássica pelo ventre da montanha. Por momentos que pareceram uma eternidade, caminhamos iluminados pela escassa luz de dois faróis de bike até que, finalmente, a luz ao fim do túnel surgiu. Quando chegamos ao lado paulista, um totem, estóico, afirmava estarmos no caminho correto. Uma paisagem quase irreal se descortinava de lá, vendo-se, de um lado, a boca do mítico túnel surgir do seio da Mantiqueira e, de outro, a visão triunfal do Vale do Paraíba com a vista da Serra do Quebra Cangalha ao fundo. Também lá registramos a nossa passagem com fotos de todos os ângulos possíveis e imagináveis, afinal, não é todo dia que se tem uma vista daquelas...


O lado mineiro do Túnel da Mantiqueira


Luz ao fim do túnel, que tem 996m de extensão


Essa eu vou pôr em uma moldura...


O lado paulista, com os sauros felizes da vida!


Demais!


Vista do Vale do Paraíba


Comitiva de D. PedroII na inauguração do túnel


Parte da equipe que construiu o túnel

Àquela hora, o sol, preguiçoso, já se escorava no cume da cordilheira e anunciava que não se poderia esperar muito mais e, então, tomamos um single track que, poucas centenas de metros depois, distancia-se do degradado caminho de ferro e despenca montanha abaixo numa descida de tirar o fôlego. Não sei dizer qual a extensão ou quanto tempo gastamos nessa parte da trilha, só sei que ela é cheia de curvas fechadas, com forte declive, muitas pedras soltas e valetas laterais e proporciona, assim, uma descida alucinante. Nós a descemos aproveitando cada metro, entusiasmados com um caminho tão gostoso e, quando a terminamos, vibrávamos feito crianças. Quando a trilha acabou, entramos numa estradinha de terra com alguns quilômetros de extensão, esburacada, também cheia de curvas e de pura descida e que foi vencida num piscar de olhos. Esta estradinha termina na rodovia SP 52, onde entramos quando já começava a escurecer. Daí para a frente, foram mais cerca de 13km de asfalto, quase todos de descidas, até Cruzeiro, onde chegamos já às escuras. Fomos diretos à praça central da simpática cidade, onde já nos esperavam os nossos apoiadores que, inclusive, já tinham escolhido o local para a nossa hospedagem. Mais tarde, para comemorar o esplêndido evento, fomos jantar no Tulipas, restaurante descoberto por Ronaldo, Marcelino e Silas da última vez que tinham estado lá e que tinha sido por eles credenciado. Além de excelente serviço e ótima comida, o ambiente claro e agradável foi palco perfeito para o jantar jurássico. Lá mesmo foi decidido que no dia seguinte pela manhã, não haveria volta direta para Varginha, não! Os sauros aproveitariam a oportunidade para um pedal até Aparecida, a cerca de 50km dali, para não perder a chance de treinar um pouco mais e de dar uma soltada nas pernas. Infelizmente o fantasma da tendinite voltara a assombrar-me e, com dores, decidi que não faria esse trajeto. Conforme deliberado, no dia seguinte, o pessoal saiu de bike rumo ao Santuário por estradas secundárias, enquanto o apoio, agora com uma pessoa a mais, partiu pela Dutra, mesmo. Chegamos à Basílica com certo adiantamento em relação aos nossos companheiros que, entretanto, não tardaram muito e chegaram rindo à toa, após um pedal de cerca de duas horas de muito giro. Não nos demoramos muito e logo estávamos no Hotel Estação de Minas onde, como de costume, os intrépidos tomaram um banho e almoçaram. O Marcelino, Adilson, Totonho e Perrengue saíram um pouco apressados por compromissos que os dorenses ainda teriam de cumprir e, um pouco mais tarde, saímos os demais para uma tranqüila viagem de poucas horas até a nossa Princesa do Sul.


Jantar comemorativo no restaurante Tulipa


Jurássicos a postos para o pedal até Aparecida


É só felicidade!

Não dá para explicar com palavras a magnitude do que foi vivido pelos jurássicos nessa jornada. O fato de fazer um bom pedal é excelente, claro, mas isso transcendeu o prazer de pura e simplesmente pedalar. Foi muito mais, foi formidável, permeado de emoções e lembranças compartilhadas com bons amigos e com um pouco de tudo aquilo que nós, Bikessauros, sempre gostamos: caminhos inéditos, trilhas, superação, paisagens maravilhosas, companheirismo sem limites, muita diversão e algumas pitadas de história. Foi tão bom que, mal chegamos ao destino, já estávamos com uma vontade louca de fazer tudo de novo...
Os totens não mentem jamais... ora, já sabemos que, como indicadores dos trajetos Reais, isso nem sempre é verdadeiro. Se um deles, entretanto, disser que não há turma mais fantástica a trilhar esse inigualável caminho, pode acreditar, é a mais pura verdade!

Rodrigo Silva
Fotos:

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Aparecida IV - Feminino - Inscrições abertas

Olá Pessoal,

As Bikessauras se reuniram para acertar os detalhes da nossa IVRomaria a Aparecida-SP, a ser realizada no período de 30 a 02 /novembro.

INSCRIÇÕES: no período de 17 a 21 / agosto,com a Sandra, na Rua Dr Benevenuto Braz Vieira, 185, Parque Ozanan(Rua do Velório Municipal - agendar por telefone: 3222-5426 ou 8414-1168)

VALORES:
Associado: R$180,00 (3 vezes)*
Não associado: R$280,00 (3 vezes)*

EQUIPE DE APOIO: Dois veículos com duas pessoas cada. Ainda não definido.

ALTERAÇÃO DO PERCURSO: no terceiro dia nosso destino será a PousadaLajeado em Wenceslau Brás (alojamentos) .

Os rapazes convidados, que participaram dos anos anteriores, serão comunicados diretamente pela comissão organizadora, condicionado a disponibilidade de vaga.

A inscrição dará direito a 1 camisetas de bike e 1 de malha-fria,hospedagem, alimentação e transporte.

Para inscrição, as associadas deverão estar em dia com as contribuição anual. Preço das camisetas extras, para caso queiram presentear alguém:
malha-fria R$20,00 e de bike R$50,00.

A ficha de inscrição e o manual de conduta deverá ser lido por todos participantes antes da concretização das inscrições.

Contamos com patrocínio da UNIMED
e apoio de: Coutinho Transportes, Cantina Romana, Shimizu Advogados eVita Corpus.

(A lista de empresas apoiadoras pode aumentar. Lembramos que o participante que apresenta um apoiador recebe um bônus de R$50 nainscrição).

Para maiores informações, entrem em contato com a comissão:Bomfim, Carola, Claudinha e Sandra.

Comissão AP IV

Mais um relato do pedal do último sábado, 08/08/2009

Os intrépidos e intrépidas do sábado no Bikeponto, na Praça da Fonte.



O pedal misto do dia 08/agosto/2009:
Por volta das 8:15 hs, partiu da praça um grupo de Bikessauros e Bikessauras (Luciana, Miriam, Luísa, Cris, Carola, Bel, Ary, Luizão, Mauro, Faísca, Pirituba, Clevinho e Wagner) para mais um animado pedal. Desta vez, o percurso escolhido foi um mix do tradicional Monsenhor Paulo e Mutucão, perfazendo aproximados 85 km. Passamos por Monsenhor Paulo para o indispensável pão com mortadela e coca-cola, na padaria da cidade, rumando logo em seguida para Elói Mendes, onde a Cris e Carola, que estão retomando os treinos depois de um ‘tempinho” de férias, foram resgatadas pelo Caxambu. Retornamos a Varginha por asfalto, chegando ao novo point dos Bikessauros, a já apoiadora Cantina Romana, onde a galera animadamente já bebemorava havia algum tempo.
Pedal nota dez! Que tal fazermos Pontalete no próximo sábado? Esperamos a presença das demais meninas e que venha o Aparecida IV!!!!


Luísa

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Pedais do final de semana - 08 e 09 de agosto

Os eventos de Aparecida Masculino (Setembro) e feminino (Novembro) estão ai. E a moçada está se preparando como nunca. Sábado e domingo tivemos vários pedais pelos arredores de Varginha e região. Aguardamos os relatos dos demais grupos.
Descrevo aqui o pedal trilheiro até Carmo da Cachoeira:
A partir das 07:45h, o grupo formado por Ronaldo, Lance Ney, Ronaldão, Carlinhos (Sortee) e Luiz Claudio Bregalda (Os Criaturas) fizeram um pedal trilheiro até Carmo da Cachoeira. Parada rápida na padaria credenciada em frente à rodoviária e seguiram por terra até a Fernão Dias. Cruzaram a rodovia e desceram para a cachoeira. Simplesmente fantástica. Inédita para alguns, a primeira visão da cachoeira impressiona. Água limpa e volume incomum para esta época do ano. O grupo curtiu a paisagem e as águas diáfana da Cachoeira Pai Paulo. Às 11:30h iniciaram o movimento para Varginha. Optaram pelo retorno em asfalto devido ao tempo. Giro forte e constante com velocidade cruzeiro chegando em Varginha 13:15h. Bebemoram na Cantina Romana a aventura com um numeroso grupo de bikessauros e bikessauras que fizeram o Mutucão. Maciel e trup fizeram um pedal trilheiro e inédito. Ale comprou um belo terreno e Silas deve gastar um bom dinheiro para regularizar o investimento, rs. Ale, desejamos rápido retorno aos pedais. Lembra-se, quem tem medo de cair usa ergométrica.
Domingo teve altos pedais também. Ronaldo, Silas, Rodrigo Silva, Hebert e Lenz fizeram as Três Serrinhas que depois virou Quarto Serrinhas e Dez Montanhas, rs. Outro grupo liderado pelo Maciel fez Gran Solúvel. Teve também a corrida do Paulo Veloso no Alto da Copasa com participação de vários bikessauros.

Seguem algumas fotos do pedal para Carmo da Cachoeira:


No bikelocal e pelas trilhas.

Cachoeira Pai Paulo, grupo em harmonia com a natureza.
Abraços, Ronaldo.

-------------------------------------------------------------------
Amigos neste ultimo domingo ocorreu no alto da vila paiva etapa varginhense do campeonato regional de ciclismo e tivemos a participação de vários sauros.

vamos aos resultados:

Elite speed

3º Enoque

Mtb Elite

5º Junior

master speed

2º Caxambu
3º Adilsão

Open speed

6º Rodrigo patinete

Open mtb

1º Denilson

8º Isabel

Infantil

1º Bruno

Juvenil

6º Bruno

A prova foi bem interessante e tivemos a estréia do Junior e do Patinete que mesmo sem nunca terem participado deste campeonato tiveram muito bom desempenho.

Destaques:

- Bela corrida do Bruno na Juvenil. Acompanhou o pelotão o tempo todo e teve pernas para seguir no sprint final e se sair bem. Vale ressaltar que esta categoria é para meninos de até dezesseis anos e o Bruno vai completar doze. Particularmente gosto desta categoria, pois podemos ver os garotos com muita vontade e disposição, já com uma boa noção de corrida.

- Denilson retornando as corridas com uma bela vitória, espero que se anime continue correndo.

- Na categoria infantil tivemos a participação de uma garota de Alfenas, com um bom biotipo, e que com muita raça foi segunda colocada, Destaque para sua chegada: passou os 30 metros finais andando apenas na roda de trás demonstrando muita habilidade para um ciclista desta idade.

- Outro acontecimento muito interessante foi a disputa das moças na categori open mtb. A Isabel que vem participando como unica representante feminina teve nesta etapa uma concorrente e protagonizaram uma bela disputa vencida pela Isabel nos metros finais.


Um grande abraço

Caxambu