domingo, 25 de abril de 2010


PEDAL DE SÁBADO, 24 DE ABRIL

Aí, bikessauros, com tantos pedais fantásticos acontecendo, precisamos de relatos para que todos saibam o que está havendo. Ontem, por exemplo, Adilson, Bregalda, Digão, Edir, Hebert, Isabel, Marcelo, Ney, Rodrigo Sanches, Rodrigo Silva, Ronaldão, Timba e Totonho saíram com idéia de fazer a já antológica Trilha do Maciel que teria, combinamos, algumas modificações, já que queríamos ser apresentados ao ainda desconhecido mas já famoso circuito que foi feito para treinos sob a liderança do Enoque. Assim, saímos com temperatura amena e, após subir e descer mil vezes para terminar sempre na estrada do Ventilador, acabamos chegando no tal circuito. É realmente fantástico, com todos os tipos de obstáculos, com degraus agudos, barrancos abaixo praticamente em pé, subidas em trilhas incrivelmente inclinadas e passagens em single tracks dentro de uma viçosa mata que exigem atenção todo o tempo, além de técnica e muito condicionamento. Foi muito divertido fazer todo o seu trajeto e estava tão bom que houve até a idéia de ficar só por lá mesmo, para treinar bastante... O caso é que já tínhamos combinado e deveríamos seguir adiante. Daí para a frente o dia esquentou e o sol nos acossou sem dó nem piedade, de forma que, quando chegamos ao topo da estrada para o Mascatinho, praticamente todos já estavam sem água, o que nos obrigou a descer até a fazenda à busca das famosas minas do Mascatinho (estou me referindo às nascentes...) para reabastecimento. Um pouco antes minha bike já vinha apresentando uns estalos e tiros mas, depois da descida até as minas, não podia fazer qualquer força que acontecia um estalo e a corrente aparecia na coroinha. Um exame mais aprofundado da bike mostrou que a coroa média estava praticamente sem dentes, gasta que estava. Não houve mais jeito – ou usava coroinha ou coroão, o que deixou o pedalar mais difícil e sem graça. Bem que os amigos me tentaram convencer a continuar mas, quando chegamos a pedreira, desisti do pedal e, juntamente com a Isabel e o Hebert, descemos em direção a Vargem, enquanto os demais terminariam o pedal. Sem maiores dificuldades, logo estávamos na cidade e, com a Isabel entregue, rumamos às nossas casas. Foi uma pena não ter dado para fazer todo o trajeto mas só a passagem pelo circuito do Enoque já valeu a pena. Não sei como terminou o pedal dos intrépidos mas, com certeza, eles detonaram, já que estão andando demais! Já mandei a bike para o estaleiro para, com certeza, na próxima semana, estar novamente junto a esses ases do cross country; quem sabe, assim, possa vir a ser tão bom quanto eles...



Rodrigo Silva

Um comentário:

Bikessauros disse...

Show de relato e pedal.
Fiquei babando e com muita sede de participar este pedal.
Em breve estarei com vocês.
Abraços, Ronaldo.