domingo, 2 de maio de 2010

Os Devaneios do Pedalante Solitário

Sim, é uma corruptela de "Les Rêveries du Promeneur Solitaire", de Rousseau.

Ontem, 1º de Maio, por ter perdido o horário, Luizão teve que fazer um pedal meditação, que incluiu a Fazenda Jacutinga, o Lagamar, o Barreiro, o Sítio Engrenagem e o Cemitério Campal.
Enquanto pedalava, o intrépido pôde divagar sobre coisas do tempo pretérito, presente e futuro; sobre negócios do espírito e pôde até jogar alguma luz sobre os mais intrincados labirintos da alma humana.
Descobriu, por exemplo, que nossas ações e decisões são pautadas pela Vontade e pela Inteligência. A humanidade oscila entre essas duas forças. Daí, a qualidade de nossa vida depende do equílibro entre elas. Quando a Vontade supera a Inteligência, estamos na senda da perdição; ao contrário, deixamos de viver com plenitude. O resto é Espiritualidade: a certeza da eternidade da alma e do aprendizado contínuo.
Sobre as mulheres, lembrando um pequeno trecho de "Viver Para Contar", de Gárcia Márquez, concordou: "são as mulheres que sustentam o mundo e nós, homens, o desordenamos com nossa brutalidade histórica".
Até a próxima!
Luiz A Nogueira

2 comentários:

Anônimo disse...

Grande Luizão, um perfeito filósofo entre as nossas fileiras! Show de digressão, caro jurássico.

Rodrigo

Anônimo disse...

Muito bom,Luizão !


Flávio lúcio.