quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Bikessauras: Aparecida - Agora É Que São Elas V

1º Dia: Varginha – Lambari - 30/oututbro/2010
Finalmente, chegou o grande dia.! Aos poucos fomos nos reunindo em frente a Igreja Matriz do Divino Espírito Santo para a missa, que teria início às 07:00 hs.
A ansiedade estampada nos rostos, alguns quase não conseguiam se controlar... Ao final da missa o Padre Felipe nos deu uma bênção especial.
Após, nos dirigimos ao bikeponto onde gravamos uma entrevista para a TV Alterosa, tiramos a foto oficial e partimos rumo a nossa primeira etapa que tinha como destino a cidade de Lambari.
Passada a emoção da saída, seguimos pela rodovia até a entrada de São Bentinho e de lá seguimos por terra até Cambuquira, onde saboreamos algumas frutas na Quitanda do Mauro.
Continuamos até a chegada em Lambari num clima de companheirismo e descontração.


Isabel Ferreira

2º Dia: LAMBARI - MARIA DA FÉ –31/outubro/2010

Era domingo, 31 de outubro, 2º turno das eleições para Presidente da República.
Acordamos bem cedo.... eu e Silvana (minha companheira de quarto). O dia amanheceu meio nublado, mas parecia que São Pedro iria ajudar....
O café (muito farto por sinal) foi servido a partir das 7:00 horas. Uma longa fila se formou.... estava no hotel um grupo da 3ª idade que se juntou a nós na disputa pelo tão esperado café...
Após estarmos todos muito bem alimentados, nos dirigimos às escolas para entregarmos as justificativas eleitorais...
Dever cumprido e depois de várias fotos com o grupo de idosos, saímos em direção à Igreja da cidade e ao cassino para a tradicional oração e foto.
Em Jesuânia, em uma das paradas com nosso apoio , ficou resolvido que faríamos um trajeto diferente, sugerido pelo Maciel, no qual evitaríamos asfalto.
Foi então que aqueles que já o conheciam, tomaram a frente e por várias vezes se posicionaram nos lugares exatos indicando a direção a seguir.
Os que já haviam feito o caminho antigo, aprovaram a variação e para os novatos, inclusive eu, foi excelente.
Começamos então a nos dirigir para a tão falada e porque não dizer temida, subida da serra de Maria da Fé...
A princípio não me pareceu que seria tão difícil assim, mas à medida que subíamos constatei que teria que ,como sempre me diz a Luisa, administrar.
Por vezes alguns fizeram umas paradinhas estratégicas, para recuperar as forças, tomar água e comer a bananinha da Tia Sandra (inclusive eu e Bebel).
A paisagem ficava mais deslumbrante à medida que subíamos... e valia cada gota de suor derramado.
O grupo se encontrou no topo da serra e aí foi só soltar as magrelas por uma descidona incrível.
Avistamos Maria da Fé e enfim chegamos no Hotel D. Marta; depois, foi só subir uns 4 ou 9 (rs,rs,rs) lances de escada para guardar as bikes e correr para o famoso café da tarde, que nos esperava.
Barrigas cheias, banho e depois de todos cheirosinhos e refeitos, fomos para a famosa cervejinha no restaurante do hotel.
Antes do jantar o grupo saiu em tour pela cidade; tiramos várias fotos e voltamos para a tão esperada comidinha de fogão à lenha. Aliás, aquele feijão (fala sério!) só de lembrar, dá água na boca!!!
Logo após, muitos foram para seus quartos, outros continuaram na cervejinha... só sei que Dilma acabara de se tornar a Presidente do Brasil....
Bem... esse foi meu relato do nosso incrível e inesquecível 2º dia de pedal para Aparecida do Norte....
Espero que tenham gostado e aguardem cenas dos próximos capítulos!


Alessandra Nogueira (Fanta)


3º Dia: MARIA DA FÉ – DELFIM MOREIRA- 01/novembro/2010

“E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar...” (Gênesis. 1:9-13).
O amanhecer do terceiro dia foi numa segunda feira e já era um prenúncio de um dia diferente dos demais. A chuva que nos rondava desde o final do primeiro dia em Lambari, finalmente nos alcançou logo no início do dia. Ao acordarmos, já se podia notar a presença de muitas nuvens pesadas e começou a chover.
Aguardamos por alguns minutos, certos de que a chuva iria diminuir ou passar e foi o que aconteceu. Partimos rumo a Fazenda Boa Esperança, no município de Delfim Moreira. Todos em fila indiana até pegarmos o trecho de terra poucos quilômetros adiante. Todo cuidado era pouco por causa do trânsito de veículos e a pista molhada.
Estávamos todos um pouco apreensivos porque no caminho estava o morro do cachorrinho e alguns intrépidos estavam dispostos a “zerar” aquele trecho, o que foi impossível, pois a chuva que estava a nossa frente deixou o terreno já íngreme, muito escorregadio. Ao nos depararmos com esse trecho eu já notava algumas Bikessauras já no alto do morro. Betão, Bregalda, Rodrigo e Salvador, estavam na culatra e observaram de longe o início desse desafio.
Após a subida do cachorrinho, o próximo desafio seria uma descida com inúmeras curvas, onde o barro tornou-se um grande obstáculo e mais uma vez, colocou-se em prova todas as habilidades de concentração e destreza das Bikessauras. Foram 5 quilômetros de pura emoção e frieza para se evitar as quedas. Túlio, um dos novatos, e mascote nessa aventura, pode sentir na pele comprando vários terrenos.
Seguindo adiante, a próxima parada seria na comunidade de Barra do Lourenço, aonde o nosso apoio, liderado pela Sandra e Valéria já nos aguardava com tradicional lanche pra se recuperar as energias para o cumprimento da último trecho do dia, que seria a finalização em Delfim Moreira. Só que neste ano houve uma modificação no percurso. Foram acrescentados cerca de 20 quilômetros, sendo que, na sua maioria em subida. Não seria nada demais se... se, não chovesse!!!
“No recém-criado ar, Deus trovejou e repreendeu as águas (SL.104:7) de modo que elas se apressavam e se moveram rumo ao oeste, rumo aos canais que o Senhor lhes havia designado...”
E esse lugar seria a chegada na Fazenda Boa esperança! Caiu um dilúvio naquele momento, para testar mais uma vez a paciência e perseverança de todos. Da culatra, eu, Bregalda e seu Justo, escutávamos alguns comentários sobre a chuva... Devo salientar aqui, a determinação de seu Justo e o incentivo de Breg dado a ele. No breve instante, que ele pensou em parar, Luiz Claudio em seguida disse: Não, não... estamos quase chegando, passa umas marchas, ainda tem umas duas e seu Justo determinado em chegar disse: Não é que melhorou!(rs)!
Chegamos um pouco (bastante) molhados (as), mas com a sensação de um dever cumprido, porque Bikessauras (os) sempre dizem: está ruim, mas está bom!?!
Todo o sacrifício de se enfrentar o final do percurso debaixo de chuva foi compensado pela beleza do lugar. Cachoeiras, tirolesa, para os mais ousados, sauna e um belo café nos aguardavam.
“E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro” (Gênesis 1:9-13).

Roberto Rivera

4º Dia: DELFIM MOREIRA- APARECIDA - 02/novembro/2010

Finalizar uma viagem como esta, onde as dificuldades se tornam desafios e com garra, determinação e acima de tudo, a vontade de chegar ao destino, fazem com que todos fiquem tomados por uma emoção inigualável.E para ilustrar essa emoção, falo das lágrimas derramadas pelo Sr. Justo, com 70 anos, ao se deparar com a Basílica , que expressa o sentimento de cada um do grupo. Para muitos, chegar a Aparecida não representa apenas o cumprimento de uma meta, mas a emoção de estar diante de Nossa Senhora, e que movidos pela fé e temor a Ela transformou a caminhada, ou melhor, a pedalada, em prazer apesar de todo o sacrifício a que nos submetemos. Diante de tantos obstáculos que a vida nos oferece e que transformamos em desafios, a conquista nos faz sentir vitoriosos.
Podemos dizer que esta Aparecida V foi uma grande vitória para todos que enfrentaram com garra um novo caminho, que nos levou a um lugar mágico de uma natureza exuberante e que renova nossa energia para continuar a caminhada. No dia seguinte, já energizados, é que pudemos perceber o grande feito, uma subida daquelas de tirar o fôlego e debaixo de uma chuva que anestesiou os músculos já cansados, depois de uma grande pedalada até Delfim Moreira.
Este lugar mágico trouxe energia suficiente para uma marcha cadenciada, de giro rápido, onde todos deram o máximo de si para chegar na hora marcada, a tempo de assistir à missa e receber a benção final, para coroar esta trajetória marcada pelo espírito guerreiro do grupo.
A tão esperada descida de Piquete foi adrenalina pura, talvez a que nos causa mais medo, pelo perigo, mas a satisfação de vencer mais essa, fica estampada no rosto que cada um.
Não poderia deixar de registrar as pequenas quedas que também marcaram a nossa chegada. Mas os guerreiros, como sempre, não deixaram a peteca cair e com a força dos colegas se levantaram e continuaram com a mesma garra de antes.
A missa é sempre um momento de reflexão que nos remetemos a buscar o melhor de dentro nós e fazer com que este melhor possa refletir nas nossas atitudes para com os nossos amigos, familiares e acima de tudo, com nós mesmos, sendo conduzidos pela nossa consciência.
O retorno à Varginha foi marcado pela emoção de ouvir o depoimento de cada colega, deixando de lado o orgulho para falar com o coração e expressar o mais puro sentimento de satisfação por enfrentar os desafios, que não são fáceis, para estar a bordo desta viagem tão sonhada e que nos transforma em pessoas melhores, com sensibilidade para enxergar em cada companheiro as suas qualidades, fazendo com que as adversidades e intolerância percam o valor.
Tivemos também uma contribuição única do Adilson, que com seu talento musical, deu o tom certo para promovermos uma cantoria de grande qualidade e do Dr. Rodrigo, que pelo seu desempenho musical, acredito, passou horas ensaiando seu repertório.
Não poderia deixar de registrar a alegria e as travessuras da nossa colega Silvana, que contagiou a todos durante toda viagem, fazendo com que momentos difíceis e estressantes se transformassem na alegria de pedalar, vencer os medos e as angústias de não conseguir chegar. Valeu galera!
Esta viagem com certeza ficará marcada para sempre em cada um de nós!
Beijo a todos!


Silvana e Luciana.

Agradecimentos:


Agradecemos às empresas Coutinho e Unimed Varginha, pelo patrocínio.


Às empresas Haduaneira, Rede Britto's, Fermavi, Restaurante Castelli Romanni, Vitacorpus Farmácia de Manipulação, Retífica Reis, Total Fitness, Transportadora Varginha, RTS Tecnologia em Limpeza e Serviços, Brick Corretora de Seguros, Stopcar e Wanger, pelo apoio.
À comissão organizadora, composta pelas Bikessauras Isabel Sanches, Luciana, Luisa e Silvana, pelo carinho e dedicação com que prepararam para que tudo ocorresse da melhor forma possível. Tenham a certeza de que vocês deram um show de organização!
o Luciano e Luizão, por nos cederem os seus veículos para o apoio.
Ao grupo de apoio composto por Clevinho, Luiz, Raquel, Sandra e Valéria. Tenham a certeza de que sem vocês nosso caminho seria mais árduo, e de que, como diz uma antiga canção: "Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que sabem ser generosas..."

A todos vocês nosso carinho e nossa gratidão!

Apoio: Clevinho, Luizão, Raquel, Sandra e Valéria


Ciclistas: Alessandra Felicori, Alesandra Mesquita, Alessandra Nogueira, Carola, Andreza, Ary, Bruno, Élcio, Isabel Ferreira, Isabel Sanches, Salvador, Luciana, Luciano, Luísa, Bonfim, Bregalda,Sr. Justo, Mara, Maria, Mauro, Michele, Roberto, Rodrigo Silva, Rogério, Ronaldo, Silvana,Túlio, Chacal, Deley e Vivi.


Comissão Organizadora: Bebel, Luciana, Luisa e Silvana.


Percurso: 292 km


Consumo: 11.000 calorias.

6 comentários:

Sandra disse...

Com certeza guardarei essas vigens no meu coração!
Obrigada meninas e meninos por poder compartilhar essa aventura junto com vcs.
Beijos no coração de cada um de voces!
Sandra

ISABEL disse...

Simplesmente emocionantes os relatos! Lindos, lindos, lindos... Expressaram com fidelidade o que sentimos em cada momento.
Quanta criatividade hein, Roberto? Amei as referências bíblicas. Ficou maravilhoso. Parabéns a todos.

Abraços,

Isabel Ferreira

Bikessauros disse...

Parabéns meninas guerreiras.
Obrigado pela oportunidade de compartilhar esta aventura com vocês.
Depois de 14 edições entre versões masculinas e femininas, digo que cada Aparecida é única e tem uma ação renovadora.
Abraços, Ronaldo.

Anônimo disse...

Bikessauras.É contagiante ver as fotos e relatos da viagem de vocês. Parabéns a todas e aos bikessauros também. Aqui em Poços estou praticamente sozinha como representante feminina. Luísa e outras meninas, venham pedalar comigo de vez em quando, tá?
Um beijo.
Nice - Poços de Caldas

Anônimo disse...

Esta aventura foi um sucesso!
Parafraseando Amyr Klink, talvez seja esta a principal virtude de um Aparecida: a de revelar, na rotina crua das dificuldades e alegrias cotidianas, os verdadeiros valores e habilidades de quem está na aventura.Nenhuma máscara de comportamento, nenhuma falsa aparência resiste a este pedal!
Parabéns a todos os participantes!
Tenho muito orgulho de pertencer a esta família!
Luisa

Anônimo disse...

Parabens
A partir da distância Felicito a todos os membros deste grupo maravilhoso
um grande abraço a todos ea cada um de vocês por mais uma vez alcançado o objetivo de chegar
Beto