segunda-feira, 29 de agosto de 2011

PEDAL CONTENDAS - POUSO ALTO (27/08/2011)

Confesso que esse pedal gerou em mim uma certa ansiedade. O caminho era desconhecido e já tínhamos ouvido dizer que era difícil.
Mas destemidas como somos, lá fomos nós para mais uma aventura.
O dia amanheceu de céu claro. Luisa me apanhou cedo, 6:00 horas! Logo estávamos em frente à casa da Tia Sandra.  Então partimos eu, Luisa, Tia Sandra e Lara para esperarmos os outros integrantes do pedal  lá no Posto Tiger.
Logo chegaram Caxambu, Michele, Bruno e Rodrigo Novais. Após as fotos de praxe seguimos ao nosso destino, a Pousada de Águas de Contendas.
Descemos as bikes e em pouco tempo, mais precisamente 08 horas e 07 minutos já estávamos pedalando. Após um pequeno trecho de asfalto entramos em uma estrada de terra. O Caxambu havia dito que subiríamos uma serra e já estávamos todos preparados psicologicamente para as subidonas. Após uns 13 ou 15 km de pedal tivemos um contratempo com a bike da Michele e ficamos parados cerca de 1 hora para os reparos. Graças a habilidade do Caxambu e do nosso companheiro Rodrigo, conseguimos seguir.
Para a nossa surpresa esse primeiro trecho foi muito tranqüilo, claro que com alguns morrões (rs,rs,rs...) mas nada assustador. Segundo nosso guia Caxambu, esse caminho corta a serra ao meio e então quando menos esperávamos já tínhamos vencido essa primeira etapa. Dois km antes de Soledade de Minas passamos por uma linda cachoeira! Tiramos mais algumas fotos e continuamos. Lá na cidade, paramos na mercearia do Marco. Coca-Cola geladinha e biscoitinho seco. Faltou o tradicional pão com mortadela, mas tudo bem. Refeitos seguimos em direção à São Lourenço seguindo a linha férrea. Muito legal esta parte! Paisagens bonitas e percurso plano. Num ritmo muito bom logo chegamos em São Lourenço. Como não podiam faltar as fotos para a posteridade, paramos na estação e registramos aquele momento.
Então fomos para a segunda parte da nossa aventura, sentido Pouso Alto.  Essa sim, teve serra e muitos e muitos morrões! E constatamos que os treinos com o Adenilson estão nos ajudando muito.
Mas a vista era maravilhosa e valia o esforço. Lá de cima se via Pouso Alto.... porém ainda estávamos longe do nosso destino final e continuamos. E diga-se de passagem essa última parte também não foi nada fácil.
Bom, quando enfim chegamos na cidade ainda tivemos que seguir pelo asfalto até a Pousada O Caipira. Foram 10 km de muita tensão. Rodovia muito movimentada, com intenso fluxo de caminhões. Eu particularmente perdi umas duas vidas naquela rodovia. Luisa parece que perdeu uma. O fato é que graças a Deus chegamos na Pousada as 15:00 horas sãos e salvos com o Cateye marcando 70 km.
Tia Sandra e Lara já nos esperavam com aquela cervejinha gelada. Á tardezinha, Adenilson chegou para buscar Michele, Bruno, Caxambu e Rodrigo. Eu, Luisa, Sandra e Lara ficamos para dormir na pousada.
Agora vou tranqüilizar os participantes do Aparecida Feminino VI....
Não ficaremos nessa pousada. Apesar dela ser ótima, ficamos muito temerosas com o trecho em asfalto. Então, no domingo cedo saímos procurando alternativas. E encontramos! O lugar é lindo, quem for vai amar... Logo que chegarmos em Pouso Alto, andamos apenas mais 1 km e vamos para São Sebastião do Rio Verde, para a Pousada Sino dos Ventos que já está na rota que seguiremos no outro dia para Cruzeiro.
Voltei muito feliz e com a sensação da missão cumprida. Acredito que os outros participantes dessa aventura também.
Obrigada Caxambu por ser nosso guia.
Obrigada Tia Sandra e Lara pelo apoio.
Nossa Aparecida VI será um sucesso! Uhhhhhhhhhhhhhh huuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!


Alessandra Nogueira (Fanta)

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

APARECIDA X - Manual de conduta e programação do evento:

X Romaria Ciclística Varginha - MG à Aparecida - SP

Setembro/2011


"Se não temos aptidão para fazer amigos, remodelemo-nos até consegui-la. A solidão só vale como remédio, como jejum - não constitui alimento; o caráter, como Goethe o viu com tanta clareza, só se forma no tumulto da vida. Se nos tornamos excessivamente introspectivos, estamos na senda da perdição, ainda que o nosso negócio seja a psicologia; olhar com persistência excessiva para dentro de nós mesmos é provocar o desastre do jogador de tênis que conscientemente mede a distância, os ângulos e a força dos golpes, ou como o pianista que pensa nos dedos. Os amigos são necessários, não só porque nos ouvem, como porque se riem para nós; através dos amigos conseguimos um pouco de objetividade, um pouco de modéstia, um pouco de cortesia; com eles também aprendemos as regras da vida, tornando-nos melhores jogadores dos jogos que a compõem”.
Will Durant (1885-1981), historiador e filósofo americano, em "Filosofia da Vida"

Apresentação:
A prática do Mountain Bike semanalmente, pelos belos caminhos do Sul das Gerais, com o propósito de manter a mente e o corpo sadios promoveu a união de um grupo em torno de um prazeroso esporte, assim nasceu o grupo Bikessauros.
Movidos pelo espírito esportista/aventureiro e envolvidos num ambiente de confraternização e fé, seguindo o exemplo dos pioneiros, Pirituba o papito, Batiore, Quinzinho e Licão dentre outros, os Bikessauros realizaram nos nove anos anteriores uma romaria ciclística ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida, no Norte do Estado de São Paulo.
Pelo sucesso e satisfação obtidos, o grupo implementou a peregrinação em seu calendário anual de eventos. Cumprindo a agenda, partirão no próximo dia 03 de setembro, com amigos (entre ciclistas e apoio somam 40 pessoas), à Aparecida - SP, unindo-se aos milhares de fiéis que de algum modo, até mesmo a pé, partem por caminhos que os levam à esperança, em busca da paz daquele Santuário e oferecendo suas preces.
Objetivos gerais: promover a prática do esporte, da espiritualidade, da solidariedade; unir pessoas através do pedal; difundir a integração e confraternização, a educação e o respeito ao próximo, a prática do bem, da convivência harmônica com o meio ambiente.
Objetivos específicos: realizar uma aventura esportiva; exercitar o condicionamento físico, a meditação e a capacidade de convivência em grupo, respeitando as opções e os limites do próximo.
Finalidades: desenvolver a consciência coletiva e a consciência ecológica; buscar a paz interior e o desenvolvimento pessoal; alcançar o desenvolvimento mental objetivando o equilíbrio, a serenidade e a humildade.
"O verdadeiro cristianismo rejeita a idéia de que uns nascem pobres e outros ricos, e que os pobres devem atribuir a sua pobreza à vontade de Deus"
"A maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de pensar"
Dom Helder Câmara
Estabelecer e seguir regras são premissas para criar uma organização e para que a realização de um determinado evento/viagem/programa obtenha sucesso total.  Estar pronto para imprevistos e prever a superação dos erros é fundamental para que tudo ocorra bem.
Apresentamos a seguir tópicos que devem ser observados com muita atenção e comprometimento, para que a viagem de 37 ciclistas e 4 apoiadores seja abençoada e coroada de pleno êxito. Pode até parecer bobeira, mas vale lembrar que estaremos reunidos em um grupo de muitas pessoas.

CONVIVÊNCIA:

Seja no grupo ou com terceiros a prática das premissas abaixo, devem ser sempre seguidas por todos:
-          Respeito, Amizade, Tolerância, Paciência, Cortesia, Alegria e Solidariedade;

·         Todos devem ser respeitados e tratados com educação, começando entre nós (ciclistas e apoio) e com todas as outras pessoas com as quais cruzaremos pelo caminho;
·         Acima de tudo, os idosos e crianças devem ser tratados com cortesia;
·         Brincadeiras sadias são super importantes, mas lembrem-se dos limites;
·         Respeitar as diferenças é base para a boa convivência;
·         Pontualidade e respeito ao companheiro;
·         Seja em qualquer ponto de parada evite confusões e supere provocações.
 
 
PRESERVAÇÃO
Ø  Zelar pela limpeza e higiene de todos os lugares por onde passarmos, principalmente nos hotéis e refeitórios, onde o banheiro deve ser deixado sempre limpo para o outro utilizar.
Ø  Jogar o lixo no lixo = carregar o lixo (embalagens de produtos que consumirem) até a lixeira. Não jogue qualquer lixo no chão, seja no campo ou na cidade = Não polua!
Ø  Zelar pelos objetos e utensílios do Hotel ou qualquer outro lugar, seja publico ou privado = Não destrua! 
Ø  Zelar pelo Meio ambiente, desenvolver a consciência ecológica = Não polua!
Ø  Preservar os mananciais de ÁGUA = Não polua!
Ø  Nunca destrua a natureza = o que está no campo lá deve ser deixado = Não arranque ou danifique as plantas!
Ø  Cuidado para não provocar queimadas = PERIGO! O mato está seco nesta época do ano, qualquer fogo pode significar a destruição;
Ø  Dissemine a consciência ecológica – a preservação da natureza;
Ø  Vocês poderão observar como o homem não está consciente, passaremos por locais que não se poderia permitir o desmatamento;
Ø  POLUIÇÃO = Há detritos que se acumulam no planeta e levam milhares de anos para se decomporem, comprometendo todo eco-sistema e por conseqüências a vida de todos os seres da terra.

TRÂNSITO
Lembrem-se, conduzimos um veículo e estaremos em cerca de 35 ciclistas. Pratiquem as seguintes normas:
Ø  Respeito;
Ø  Obedeça a sinalização;
Ø  Trafegue sempre pela direita;
Ø  No asfalto, em rodovias ou ruas, ande em fila indiana ou no máximo de 2x2;
Ø  Avise obstáculos ou perigo;
Ø  CUIDADO! – sempre muita atenção, também com as bikes.
Estaremos trafegando pelas mais diversas vias e/ou tipos de terrenos, em cada um deles há peculiaridades que devem ser observadas:
CIDADE:
-          Obedecer ao sinal vermelho;
-          Cuidado com veículos;
-          Cuidado com portas;
-          Cuidado com pessoas;
-          Nunca ande no passeio;
-          Nunca trafegar na contramão.
ASFALTO:
-          Andar entre os batedores, que estarão à frente e ao final;
-          Trafegue na margem direita em fila indiana ou no máximo 2x2;
-          Cuidado ao andar no vácuo = atenção quem puxa, não pare de repente;
-          Cuidado com caminhões.
TERRA
-          Cuidado nas curvas;
-          Andar em blocos compactos = cuidado ao ocupar toda a pista!
-          Cuidado (avise) buracos e pedras;
-          Evite fechar o companheiro;
Ø  Obs.: Nas ultrapassagens, tente perceber se o ciclista à frente tem conhecimento que você irá ultrapassá-lo, em caso negativo, informe o lado pelo qual irá passar (estou a direita ou estou a esquerda).
TRAJETO
-          Quem não sabe ou não lembra o caminho deve ficar próximo de quem conhece.
BIKER
-          É obrigatório o uso de capacete e luvas.
PENALIDADES
-          A comissão resguarda o direito de penalizar o ciclista com uma multa em dinheiro por alguma irregularidade que possa prejudicar a organização do evento. Todo valor obtido será revertido para o grupo em uma ação a ser definida pela comissão. 

PROGRAMAÇÃO:
            Dia 01/09/11 –  Quinta-feira (Entrega das camisas e informações da viagem)
-          19 h – Bar Capitólio (Ao lado do Albanos);
            Dia 02/09/11 –  Sexta-feira (Entrega da bagagem)
-          19 h – Missa na Igreja Matriz (Av. Rio Branco – Centro);
-          Camisa na missa será a de cor ROSA;
-          Após a Missa – entrega da bagagem / 01 bolsa por pessoa;
-          Local: Do lado de baixo (fundos) da Igreja Matriz (sujeito a alteração).
Trajeto: (sujeito a alterações)
1o. dia = Sábado, 03/09/09 (CAMISETA ROSA – Quebra de paradigma)
-          07 h – Concentração em frente ao Itaú (Praça da Fonte - Centro) para fotos, oração e saída;
-          07:30 h - Partida de Varginha - MG / São Lourenço - MG = ~120 Km;
-          Av. Rio Branco, Av. Francisco Navarra, Av. Princesa do Sul, Av. Celina Ferreira Ottoni, sentido Flora;
-          Chegada prevista para às 17h no Hotel Vista Alegre em São Lourenço;
2o. dia = Domingo, 04/09/09 (CAMISETA AMARELA – Simboliza o ouro que motivou a construção da Estrada Real)
-          07:00 h. - Check-out - Acerto do hotel;
-          07:30 h. - Café da Manhã;
-          08:00 h. - Saída de São Lourenço - MG rumo à Cruzeiro – SP ~ 90 Km;
-          Trecho feito pela Estrada Real que corta a Serra da Mantiqueira na Garganta do Embau, passando por várias cidades, com chegada ao destino prevista para às 17h no Hotel Brasil centro de Cruzeiro;
3o. dia = Segunda, 05/09/09 (CAMISETA AZUL – Em homenagem a Nossa Senhora)
-          07:30 h. - Alvorada - Café da Manhã;
-          08:00 h. - Check-out - acertos;
-          08:30 h. - Saída de Cruzeiro - SP rumo ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida – Aparecida - SP ~ 40 Km;
-          Chegada na Basílica em Aparecida prevista para às 11h 30min;
-          Reunir para foto oficial;
-          Missa 12h;
-          O grupo faz suas orações, toma banho e almoça no Hotel Estação de Minas (ao lado da Basílica) e retorna para Varginha em ônibus fretado.
-          Atenção ao guardar as bikes e bagagens no ônibus. Verificar se as janelas estão fechadas. Vale ressaltar que não existe seguro para bagagens e Aparecida é um lugar onde ocorrem muitos furtos em ônibus.
Chegada à Varginha


PROCEDIMENTOS
·         Respeitar os horários e datas, eles são importantes para atingirmos nossos objetivos dentro do planejado;
·         Bagagem pessoal única bolsa com etiqueta e nome, exceto as doações;
·         Estar sempre atento e pronto para as saídas;
·         Check-in / check-out = acerto Hotel: com antecedência (hora marcada) para a saída, antes ou durante o café = procurar pelo apoio responsável. O acerto será feito com ele, somente após todos os acertos é que partiremos.
·         Cuidado com a sua bagagem, sempre entregue ao apoio;
·         Evite mexer em sua bagagem durante o percurso, será permitido somente em caso de emergência. Procure levar consigo tudo o que possa precisar.
·         Cuide da higiene/limpeza dos banheiros, em prol do companheiro;
·         Faremos uma oração antes de partirmos (todas as manhãs);
·         Em bifurcações esperar/avisar os últimos;
·         Evite transtornos, sempre acompanhe o grupo. Disparar na frente poderá fazê-lo perder;
·         Chegada em Aparecida: junte-se ao grupo para a foto oficial, missa e acesso ao ônibus. Não se separe do grupo para evitar atrasos.
DICAS
·         Check-list = prepare e revise sua bike; providenciem, câmaras-de-ar reserva; lubrificantes; elásticos para amarrar a bike e proteção para o quadro da bike;
·         Cuide de sua bike em Aparecida, coloque-a em local seguro, pois a
Comissão não se responsabilizará por quaisquer danos ou perdas;
·         Bagagem = roupas de ciclismo para três dias; capa de chuva (lojas de 1,99 têm) agasalho de moletom, pertences de higiene, pomada para assaduras e protetor solar/labial;
·         Abasteça com barras de cereais e carboidratos em gel suficientes para 8 horas diárias de pedal, aminoácidos, bananinhas etc.;
·         Ingerir bastante líquido, durante e após o percurso;
·         Alimentar-se, durante a semana, com bastante carboidrato e açucares das frutas;
·         Lembre-se que você está saindo para um pedal de três dias, evite excessos para não atrapalhar sua viajem;
·         Quando estiver liderando ou em meio a um grupo que utiliza o vácuo, evite paradas bruscas, esteja sempre atento aos defeitos e obstáculos da pista, desviando-se destes, bem como orientando através de sinais, com espaço suficiente para que os outros o siga sem acidentes;
ESTRUTURA
-          Apoio é feito com dois veículos off-road, com 4 ocupantes, levando água, peças de reposição, primeiros socorros e bagagens;
-          Apoio médico é feito por 1 bikessauro;
-          Pernoite = Hoteis em São Lourenço (Hotel Vista Alegre) e Cruzeiro (Hotel Brasil);
-          Refeições = nas pousadas; vendas pelo caminho e restaurante;
-          03 camisetas especiais de ciclismo para cada biker;
-          01 camiseta de passeio, para cada ciclista e 3 para o apoio;
-          Ônibus fretado para efetuar o retorno do grupo e das bikes;
-          Faixa/banner promocional do evento com a logomarca dos patrocinadores, adesivos nos carros de apoio, filmagem e fotos do evento;
-           Assessoria de imprensa.
OBS.: Demais custos por conta de cada participante;
 
PATROCINADORES E APOIADORES
Pedimos a preferência, difusão e respeito pelas marcas e empresas que estão nos apoiando.
Patrocínio:
Ø  Unis – www.unis.edu.br
Ø  Coutinho
Ø  Unimed – Varginha / www.unimedvarginha.com.br
Ø  Retífica Reis.
Apoio:
Ø  Unicafé
Ø  Atlântica
"É necessário ter amor pela vida para o prosseguimento vigoroso de qualquer intento"
Samuel Johnson, em "The Rambler"
COMISSÃO AP X - Luizão, Roberto, Rodrigo Silva e Ronaldo.
BIKESSAUROS
LIGANDO PENSAMENTO À AÇÃO.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011




PEDAL DE SÁBADO, 20 DE AGOSTO

Como de costume, saimos nós para o rotineiro pedal feminino, sempre acompanhadas de nossos escudeiros, Sopão, Hebert, Lucão e nosso colega Ney (amigo do Bonfa), Miriam, Luísa, Fanta, Vivi e Isabel. O que fazer então, sem saber o trajeto que iríamos fazer, tivemos a sugestão do Sopão de fazermos uma parte de uma certa trilha que nem ele sabe mais aonde era, e nós seguimos, sem saber aonde iríamos dar, começamos pelo ventilador, depois subimos o morro da Torre, até chegarmos a um certo ponto todos sabíamos onde estava, de repente paramos porque a bicicleta do Hebert havia murchado o pneu, quando o Lucão descobriu que seu quadro estava quebrado, além do pneu furado, bem então ele tinha que voltar pelo caminho mais perto, daí surgiu a pergunta aonde estavamos para voltar pelo caminho mais rápido, bom como sempre meu dignissimo marido não e bom como guia, somente como escudeiro né Luísa? Bem o jeito era procurar o caminho, e lá fomos nós, bem longe escutavamos barulho de carro, parecia que estava perto, mas engano nosso, porque subíamos e desciamos e só avistavamos serra, a única certeza que tínhamos e que cada vez saímos mas longe de Varginha, porque o lado que andavamos ía sentido Três Pontas, teve uma hora que achei que estavamos chegando lá, quando de repente saímos no asfalto. Não satisfeitos, fomos nós desbravar outro caminho que não conheciamos, quando de repente resolvemos sair pelo asfalto mesmo, e entrar na trilha do lixão, o Sopão comprou uma parte da trilha do lixão, mas tudo bem, aí resolvemos voltar, porque a garganta já estava seca e a cervejinha gelada estava nós esperando, como sempre a alegria e satisfação, estapada em nossos rostos era visível, porque uma vez realizamos nosso pedal.
Agradeço a companhia de todos, e também ao tio Moisés a cervejinha estava ótima e o tira gosto também.

Bjos Miriam, até a próxima aventura.  

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

RELATO DO PEDAL A SÃO THOMÉ DAS LETRAS, OUTRA VERSÃO

Relato Pedal Feminino Varginha - São Tomé 13.08.11

Às 07:00 horas em ponto a maioria dos jurássicos já estavam reunidos no Posto Pedra Negra para início do trajeto. Uma ligação do Chacal nos deixou apreensivos, pois tomou um tombo a caminho do ponto de encontro e sua bike poderia estar avariada. Queria até desistir do pedal, mas foi encorajado pelo Lucão, pois afinal de contas tínhamos um apoio especial para esse pedal. O Sr. Farelo (pai do Lucão), assim apelidado pelo Mauro, acompanhado de sua digníssima Dona Cida, nos daria apoio do início ao fim do trajeto.
Por volta das 07:15 horas, já com todos reunidos, demos início ao trajeto rumo à Carmo da Cachoeira. Depois de alguns quilômetros, após impormos um ritmo adequado para a primeira parte do trajeto, o carro de apoio foi acionado. Com poucas paradas, pois é obvio que seriam obrigatórias para que Vivi Zamboti registrasse os bons momentos durante o percurso, por volta das 09:40 horas já estávamos em Carmo da Cachoeira. Sem falar que algumas lembranças do Clevinho sobre um tal Super Man renderam boas risadas. Os 35 quilômetros iniciais foram cumprimos com tranqüilidade e após um lanchinho básico, o famoso pão com mortadela e Coca Cola, todos estavam prontos para segunda parte do trajeto.
Saindo de Carmo da Cachoeira rumo a São Bento Abade, cometi um pequeno deslize errando o caminho, mas prontamente alertado pelo Lucão corrigimos a rota e o prejuízo foi mínimo. Depois de uma forte subida com muita pedra e cascalho cruzamos a rodovia Fernão Dias com segurança e rumamos sentido a São Bento. Essa parte do trajeto revelava belas paisagens e alguns desafios adicionais, pois existiam vários mata-burros longitudinais, conhecidos como mata-bike, que aos poucos foram transpostos. E mais incrível ainda foi ver Luiza e Alessandra (Felicori) cruzá-los sem descer da Bike com assessoria do Adilson.
Chegamos a São Bento por volta de 12:00 horas. Já com sol intenso e depois de cumprimos mais da metade do trajeto já havia sinais de cansaço em alguns dos integrantes. Bonfim com a sinusite atacada reclamava início de câimbras. Havia grande expectativa para a última parte do pedal, principalmente para cervejinha gelada. Reabastecidos e prontos para seguir havia uma decisão a ser tomada: qual caminho seguir? Adilson “Colombo” com suas coordenadas cartográficas pretendia desbravar seguindo por terra. A outra opção seria parte por terra e finalização por asfalto. Adilson, Isabel, Chacal, Silvana e Alessandra (Felicori) decidiram pelo desbravamento e os demais seguiram pelo caminho já conhecido.
Depois de alguns quilômetros o carro de apoio novamente foi acionado. Bonfim preferiu cumprir o restante do trajeto com auxílio do carro de apoio para evitar maior sofrimento. Essa última parte do trajeto feita por asfalto exigiu muito preparo, pois além do calor, conforme alegação do Nei, havia uma ilusão de ótica e as descidas pareciam subidas. As bikes pareciam estar coladas no asfalto. Só faltou ele dizer que estava vendo gnomos e duendes também...rs...rs... 
Por volta de 15:00 horas finalmente chegamos a São Tomé. Depois de 86 Km percorridos fomos direto para cachoeira das borboletas e as primeiras geladas foram degustadas. Alguns também optaram por um banhinho de cachoeira. No local havia uma cadela com dois filhotinhos. Depois que a dona do bar relevou que o nome da cadela era lingüiça imediatamente Clevinho lançou quase um novo hit do funk e não parava de repetir: “Vem lingüiça!!! Vem lingüiça!!!” Rs...rs... O segundo grupo, guiado por Adilson “Colombo”, chegou bem depois, pois ficaram perdidos e quase mataram o Chacal. Parece que até miragem de um prato de arroz com feijão ele estava vendo. Bem pessoal...o pedal foi um sucesso! valeu pela companhia, pela amizade e boa prosa. Parabéns a todos pelo desafio cumprido e até o próximo.

Abraços!

Herbert      

       
RELATO DO PEDAL PARA SÃO THOMÉ DAS LETRAS, 13/08/11

Queridas Bikessauras e queridos Bikessauros,
Não poderíamos deixar de contar para vocês a deliciosa aventura que foi o Pedal Feminino para São Thomé das Letras, em 13/08/2011. Às 07:00, partimos do Posto Pedra Negra rumo a primeira parte da eventura que seria até Carmo da Cachoeira. Pedal tranquilo, sem muitas novidades, sendo que a maioria, senão todos, já conheciam. Lá, paramos na padaria credenciada e fizemos um lanche para repormos as energias a fim de fazermos a segunda parte, até São Bento Abade, sendo esse trajeto inédito para a maioria do grupo. Quantas surpresas naturais nos aguardavam! Com o céu de um azul inexplicável, lindas paisagens foram surgindo ao longo de todo o caminho! Com o grupo pedalando num rítmo muito bom, chegamos a São Bento Abade às 12:00, acreditem, 12:00. Isso, com várias paradas para fotos durante o caminho. As meninas estão se superando e mostrando o resultado dos treinos durante a semana na Vila Paiva, lideradas pelo Adenilson. Após um pit stop para reabastecimento na Padaria Delícias de Minas, três opções de trajeto rumo ao destino final foram apresentadas pelo Adilson, sendo assim: opção número 1, totalmente por asfalto. Opção número 2, terra, por um caminho que o Lucão conhecia, terminando por asfalto. Opção número 3, um desbravamento, por um caminho que ele (Adilson) tinha demarcado pelo Google. Ficou assim, Alesandra Mesquita e Júnior, optaram pelo trajeto número 1. Alessandra Felicori, Silvana, Chacal e eu o acompanhamos no desbravamento. Os demais optaram pelo trajeto número 2. Como fiz o desbravamento, vou contar como foi. No começo, até que deu certo, de repente, não sabíamos mais onde estávamos, só plantação de milho para todo lado. Ficamos circulando na plantação até retornarmos e acharmos uma estrada no meio da mesma, da qual estávamos bem próximos, mas não enchergávamos, porque o milho ainda não cresceu e só se via terra. Encontrada a estrada, chegamos a um determinado ponto em que o mapa mandava virarmos à esquerda e avançarmos 450 metros. Fizemos e chegamos às margens de um rio. Para todo lado que íamos, saíamos às margens do mesmo rio. Voltamos e pedimos informação numa casa. Um senhor extremamente simples nos atendeu. Segue-se o diálogo:

Eu: Tem caminho para São Thomé por aqui?
Ele: Vocês querem ir para São Thomé?
Nós: Sim...
Ele: Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, ceis tá perdido demaaaaaais!
Nós: Por que?
Ele: Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, tem 3 km de subida. Na hora que chegá na serra então, aí que ceis tá perdido meeeeemo.
Silvana: Mas, o senhor acha que a gente chega lá que hora?
Ele: Umas 4 horas (16:00)...
Como já eram umas 14:00, senti um certo alívio, porque como ele estava falando, já estava calculando a chegada para umas 22:00. Bem, com as informações, embora exageradas do senhor, seguimos em frente e dali por diante, deu tudo certo. Não fizemos tudo que estava planejado. Parte do desbravamento foi abortado devido ao horário. Assim, atingimos o asfalto e por ele acabamos de chegar até o Vale das Borboletas, onde os demais integrantes do grupo que foi pedalando, juntamente com mais alguns que foram fazer o apoio na volta para casa nos aguardavam curtindo a bela cachoeira, cervejinha geladíssima e muita descontração. O retorno na van foi uma atração a parte. Todos felizes pelo belíssimo dia de pedal, embalados pela energia que só se encontra em São Thomé e acompanhados pela lua cheia, linda, que nos prestigiou com sua beleza durante todo o trajeto.

Foram pedalando:

Adilson, Alesandra Mesquita, Alessandra Felicori, Bonfim (Bonbon), Chacal, Clevinho, Fanta, Herbert, Isabel Ferreira, Júnior (Alfenas), Lucão, Luciana, Luisa, Mauro, Ney (amigo do Bonbon), Silvana e Vivi.

Destacamos e agradecemos imensamente o apoio dos pais do Lucão durante todo o trajeto.

Abraços,


Isabel Ferreira