segunda-feira, 15 de agosto de 2011

RELATO DO PEDAL PARA SÃO THOMÉ DAS LETRAS, 13/08/11

Queridas Bikessauras e queridos Bikessauros,
Não poderíamos deixar de contar para vocês a deliciosa aventura que foi o Pedal Feminino para São Thomé das Letras, em 13/08/2011. Às 07:00, partimos do Posto Pedra Negra rumo a primeira parte da eventura que seria até Carmo da Cachoeira. Pedal tranquilo, sem muitas novidades, sendo que a maioria, senão todos, já conheciam. Lá, paramos na padaria credenciada e fizemos um lanche para repormos as energias a fim de fazermos a segunda parte, até São Bento Abade, sendo esse trajeto inédito para a maioria do grupo. Quantas surpresas naturais nos aguardavam! Com o céu de um azul inexplicável, lindas paisagens foram surgindo ao longo de todo o caminho! Com o grupo pedalando num rítmo muito bom, chegamos a São Bento Abade às 12:00, acreditem, 12:00. Isso, com várias paradas para fotos durante o caminho. As meninas estão se superando e mostrando o resultado dos treinos durante a semana na Vila Paiva, lideradas pelo Adenilson. Após um pit stop para reabastecimento na Padaria Delícias de Minas, três opções de trajeto rumo ao destino final foram apresentadas pelo Adilson, sendo assim: opção número 1, totalmente por asfalto. Opção número 2, terra, por um caminho que o Lucão conhecia, terminando por asfalto. Opção número 3, um desbravamento, por um caminho que ele (Adilson) tinha demarcado pelo Google. Ficou assim, Alesandra Mesquita e Júnior, optaram pelo trajeto número 1. Alessandra Felicori, Silvana, Chacal e eu o acompanhamos no desbravamento. Os demais optaram pelo trajeto número 2. Como fiz o desbravamento, vou contar como foi. No começo, até que deu certo, de repente, não sabíamos mais onde estávamos, só plantação de milho para todo lado. Ficamos circulando na plantação até retornarmos e acharmos uma estrada no meio da mesma, da qual estávamos bem próximos, mas não enchergávamos, porque o milho ainda não cresceu e só se via terra. Encontrada a estrada, chegamos a um determinado ponto em que o mapa mandava virarmos à esquerda e avançarmos 450 metros. Fizemos e chegamos às margens de um rio. Para todo lado que íamos, saíamos às margens do mesmo rio. Voltamos e pedimos informação numa casa. Um senhor extremamente simples nos atendeu. Segue-se o diálogo:

Eu: Tem caminho para São Thomé por aqui?
Ele: Vocês querem ir para São Thomé?
Nós: Sim...
Ele: Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, ceis tá perdido demaaaaaais!
Nós: Por que?
Ele: Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, tem 3 km de subida. Na hora que chegá na serra então, aí que ceis tá perdido meeeeemo.
Silvana: Mas, o senhor acha que a gente chega lá que hora?
Ele: Umas 4 horas (16:00)...
Como já eram umas 14:00, senti um certo alívio, porque como ele estava falando, já estava calculando a chegada para umas 22:00. Bem, com as informações, embora exageradas do senhor, seguimos em frente e dali por diante, deu tudo certo. Não fizemos tudo que estava planejado. Parte do desbravamento foi abortado devido ao horário. Assim, atingimos o asfalto e por ele acabamos de chegar até o Vale das Borboletas, onde os demais integrantes do grupo que foi pedalando, juntamente com mais alguns que foram fazer o apoio na volta para casa nos aguardavam curtindo a bela cachoeira, cervejinha geladíssima e muita descontração. O retorno na van foi uma atração a parte. Todos felizes pelo belíssimo dia de pedal, embalados pela energia que só se encontra em São Thomé e acompanhados pela lua cheia, linda, que nos prestigiou com sua beleza durante todo o trajeto.

Foram pedalando:

Adilson, Alesandra Mesquita, Alessandra Felicori, Bonfim (Bonbon), Chacal, Clevinho, Fanta, Herbert, Isabel Ferreira, Júnior (Alfenas), Lucão, Luciana, Luisa, Mauro, Ney (amigo do Bonbon), Silvana e Vivi.

Destacamos e agradecemos imensamente o apoio dos pais do Lucão durante todo o trajeto.

Abraços,


Isabel Ferreira

Um comentário:

Anônimo disse...

O pedal foi fantástico, com certeza, e o relato, uma delícia! Parabéns a todos, ciclistas e relatora.

Rodrigo Silva