terça-feira, 29 de novembro de 2011



APARECIDA VI – BIKESSAURAS, 12 A 15 DE NOVEMBRO DE 2011
PRIMEIRO DIA: VARGINHA A ÁGUAS DE CONTENDAS

É chegado o grande dia! Todos com grande expectativa e animação para os quatro dias de pedal rumo a Aparecida. Logo às 06h45min os primeiros integrantes já se encontravam na Igreja Matriz para missa de envio. Devidamente trajados despertávamos grande curiosidade aos outros presentes que tentavam entender nossa intenção. Com muita fé todos foram abençoados para que o percurso fosse cumprido com proteção divina.

Logo após a missa houve concentração na Praça da Fonte com a presença de familiares e outros Jurássicos para despedida. O clima era de muita descontração e já era possível prever o quanto seria divertida essa viagem. Depois de uma oração e poses para foto oficial com a presença ilustre do Senhor Justo partimos escoltados pela Guarda Municipal.

Nos primeiros quilômetros era perceptível a preocupação da tripulação de uma das UMJ (Unidade Móvel Jurássica) com a carne e o carvão que acompanharia a cervejinha gelada no fim desse primeiro dia. Também havia uma mobilização para criação da campanha “Devolvam a Transpantaneira”, pois haviam furtado a bike do Bregalda recentemente e o mesmo faria o percurso com uma bike gentilmente emprestada pelo Denilson.

O dia prometia muito calor e mesmo assim o trajeto era cumprido em um ritmo muito bom. Depois da Flora houve a necessidade de uma parada, pois conforme o Delei a Vivi conseguiu passar num “prego de trem que varou até o aro da bike”. Imediatamente Denílson foi acionado e rapidamente Vivi e sua “magrela” estavam prontas para prosseguir.

Logo em Três Corações fizemos uma parada para repor as energias e seguimos o trajeto rumo a Conceição do Rio Verde. Atravessamos o Rio sem qualquer problema com a balsa. Do outro lado do havia um churrasco muito suspeito, pois um bando de homens com suas charangas estacionadas escutavam Adocica do Beto Barbosa. Brincadeira! Não me lembro da música que escutavam, mas a concentração era muito estranha.

Pouco antes de Conceição do Rio Verde tive uma câimbra das brabas. Sorte minha que Silvana e Chacal deram uma força com o preparo de um verdadeiro coquetel. Tomei Power Gel, Gatorade, água com castanha e damasco todos de uma vez. Com o apoio moral da Silvana consegui chegar em Conceição juntamente com os demais.

Depois de mais uma parada para repor as energias partimos para os últimos quilômetros até Águas de Contendas. Já nos primeiros metros a câimbra me pegou novamente. O apoio estava preparado para me rebocar, porém Nei e Delei deram uma força e consegui cumprir todo o trajeto.

Depois de 93 quilômetros finalmente estávamos na Pousada Caminhos das Águas. O local era muito bonito e com muito verde. Todos foram se acomodando. Alguns foram para piscina, outros para o banho e vários para cerveja gelada. Era só alegria. O pessoal foi se organizando e em pouco tempo todos estavam juntos curtindo um churrasquinho preparado pelo Caxambu escutando um som comandado pelo Dj Delei.

Após várias cervejas e taças de vinho já era possível ver a embriaguês tomar conta da galera. Bregalda chapou o melão e ficou doidão. Chacal conseguiu trancar o local onde guardaram as bikes com a chave dentro. Nesse embalo a bike do Tião foi até apelidada de “caverão”. E o pior é que ele entrou na onda, pois não parava de repetir a expressão “faca na caveira”.

Um jantar caprichado foi servido e todos se recolheram para descanso. Ah...sugiro que no próximo ano máscara de gás e protetor de ouvido constem no check list, pois no alojamento dos homens a sinfonia de peidos e roncos estava osso...rs...

Não só o primeiro dia, mas a viagem como todo foi espetacular. Foram dias de muita alegria e descontração. Todos os ingredientes estavam na medida certa e em sintonia: respeito, companheirismo, bom humor, organização, aventura, superação e amizade. Parabéns a comissão pela dedicação. Espero que todos estejamos juntos no Aparecida VII.

Abraços.

Herbert


SEGUNDO DIA: ÁGUAS DE CONTENDAS A SÃO S. R. VERDE

O segundo dia da nossa viagem começou com um reforçado café da manhã para dar aquela energia necessária para enfrentarmos mais um dia de pedal. Após a tradicional oração, pedalamos por estradão até Soledade de Minas e, depois, ao lado da linha de trem até São Lourenço. Nesse trecho houve alguns investimentos, até eu resolvi comprar um terreno por lá. Chegando a São Lourenço a cidade estava lotada de turistas e nós fomos uma atração a mais. Eram charreteiros gritando, nos incentivando, passageiros de charrete gritando, a gente respondendo os gritos, turistas tirando foto... Um sucesso!... Quando nos posicionamos em frente à estação do trem para a foto oficial só se viam os flash`s, puras celebridades. A receptividade do pessoal de São Lourenço foi realmente muito legal. Após as fotos, fizemos um pit stop e logo seguimos em frente rumo ao destino do dia que seria São Sebastião do Rio Verde. Num trajeto com algumas subidas fortes e no final uma descida longa que exigia certa técnica, todos foram vencendo os desafios. Chegando à Pousada Sino dos Ventos, fomos recebidos calorosamente pela proprietária que logo providenciou um lanchinho para esperarmos aquele saboroso churrasco que a equipe de apoio logo começou a preparar. Daí em diante, muita descontração e animação.

Abraços,

Isabel Ferreira


TERCEIRO DIA: SÃO S. R. VERDE A CRUZEIRO

Segunda feira 14 de novembro, mais um dia de pedalada.

Tempo fechado, dentro de alguns minutos, chuva!

A turma levantou toda animada, tomamos um belo café, a concentração em frente

a pousada para foto e oração.

Iniciamos nosso pedal pelo asfalto, logo entramos na estrada de terra, e para surpresa começa chover! Mais nada de desanimar, não seria possivel passar pelo túnel, mais tudo bem o pedal estava

legal. A galera estava pedalando muito nem pedras e trilhos conseguiram diminuir o ritmo.

Algumas paradas básicas, em Passa Quatro um lanche na padaria para reforçar, A chuva não

parava. O grupo estava muito unido, dando continuidade fomos em direção ao caminho que nos levava até o túnel, como foi decidido pela comissão seria pela estrada subindo uma super subida dando acesso a serra. Silas, Alessandra, Túlio e Júnior foram pelo túnel e a trilha, decisão consciente deles.

Após todos chegarem ao posto da serra, lavamos as bikes para a descida pelo asfalto.

Fila indiana, graças a Nossa Senhora o asfalto estava seco, foi uma descida magnifica, alguns que desceram na frente nos aguardavam no trevo para chegarmos em Cruzeiro. Chegamos por volta das

14:30. Foi um dia cheio de emoção e tensão, agora só aguardar o próximo dia, a chegada!

Cervejinha gelada, uhuhuhuhu!!!!

Viviane


QUARTO DIA: CRUZEIRO A APARECIDA

O dia, como o anterior, amanheceu chuvoso. Bem que queríamos um dia seco para finalizarmos em grande estilo a viagem, mas a chuva recomeçou poucas horas antes da nossa saída e, pelo jeito, gostou tanto que resolveu acompanhar-nos por todo o percurso. Após três dias de intensos pedais pelas serras afora, seriam 50km de mais puro asfalto, muito bem vindos para as pernas das bikessauras e bikessauros que, após enfrentar as agruras da travessia da Mantiqueira, encontravam-se já um pouco cansadas. Bem, isso não quer dizer que iriam pedalar leve; de fato, durante todo o tempo, o pedal foi forte e rápido, com somente uma parada em Lorena para a tradicional foto defronte a igreja. Com a orientação do nosso apoio que demarcava as extremidades do comboio jurássico, o grupo seguiu em surpreendente e bela coesão, dando um show de visual e disciplina. Sempre debaixo de chuva, rumamos a Guaratinguetá e seguimos a Aparecida, com os corações a mil com a visão da torre da basílica nacional cada vez mais próxima. Chegamos ao santuário molhados até os ossos e trêmulos de frio, o que nos apressou a ida ao hotel, onde já nos esperava o ônibus que nos traria de volta. Esse ano a acomodação das bikes foi bem mais fácil, apesar dos porta-malas serem pequenos, já que muitas bikes voltaram com os carros de apoio e com os de familiares que foram até Aparecida para nos esperar. Logo após o almoço e o bolo dedicado aos nossos aniversariantes, embarcamos para mais uma jornada onde a camaradagem e a animação foram marcantes. Devidamente abastecidos por cervejas e refrigerantes, a viagem foi uma festa o tempo todo. Prestes a terminar o evento, todos queriam aproveitar ao máximo as companhias dos amigos, de modo que houve muita conversa, brincadeiras e também momentos de grande sensibilidade, como na hora dos depoimentos. Nessa hora, a emoção fluiu solta, com todos falando, cada um à sua maneira, do fundo de seus corações, sobre as suas impressões e sensações ocorridas durante esse fantástico evento. Como tudo que é bom passa muito rápido, num piscar de olhos chegamos a Varginha, onde nos despedimos, meio a contragosto, dos queridos amigos que estiveram juntos por esses quatro dias intensos e divertidos. 
Finalizado o Aparecida VI - Bikessauras, devo admitir que ainda me causa assombro tantos mágicos momentos vividos, alguns de puro sonho, como aquele em que o casal de bailarinos encantou a esquina defronte ao hotel. Alguém comentou que aquela esquina jamais tinha visto tamanha poesia... Ainda me impressionam também as enormes demonstrações de jovialidade, força e determinação; a viagem não foi fácil, mas o que se viu foi gente se superando, superando o cansaço, a dor e, alguns, até o insuficiente tempo de treinamento, e sem nunca se queixar ou deixar que a alegria se esvaísse. Todos tiveram participação marcante e construtiva, bikers e equipe de apoiadores, todos cuidando uns dos outros o tempo todo, de forma que vivemos uma verdadeira fraternidade, ainda que formada por pessoas tão diferentes... Quando penso sobre tudo isso não deixo de me emocionar, e acho, mesmo, que esses caminhos que percorremos, esquinas do mundo, nunca viram e nem virão tamanha poesia ... sobre pedais!

Rodrigo




segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Pedal de sábado - Jatobá

Um grupo grande e animado fez no sábado o pedal do Jabotá iniciando pela trilha dos criaturas.
Seguem as fotos:

Marcelo
https://picasaweb.google.com/106913630790696303946/PedalJatoba261111?authuser=0&authkey=Gv1sRgCP6PzoKx8vfjOQ&feat=directlink

Rodrigo Sanches
https://picasaweb.google.com/lh/sredir?uname=rodrigogsanches&target=ALBUM&id=5679830735073130529&authkey=Gv1sRgCJHzzaflkOq26QE&feat=email

Aiuruoca Baependia - A travessia parte 1 - 26.11.2011

   Andreza e  Ronaldo encontraram Vanil, Leonardo e Mateia em Caxambu e seguiram de carro até Aiuruoca. Ou melhor, 4 kemes antes de Aiuruoca na estrada de terra para a Pousada Do Lado de Lá, o grupo
descarregou as magrelas e depois da foto oficial partiram para 16 kemes de subida. Impressionante como sobe. Passamos pela Cachoeira dos Garcias e atingimos as nuvens a 2.000 metros de altitude. Desviamos o caminho e chegamos na Pousada. Famosa e com o título de pousada mais alta do pais localiza-se dentro do Parque Estadual do Pico do Papagaio. A diária é salgada. Algo em torno de R$ 500,00. Só chega lá de carro 4x4 e bike, rs.
   Após as contemplações do visual, despencamos literalmente sentido Baependi. Uma descida sem igual exigindo técnica e cuidado dos intrépidos. Ora dentro da mata, ora contornando os morros.
   Guiando pelo Vanil, o grupo serpenteou morros, passou pela estátua do Nirvana, curtiu as cachoeiras do Inferno, Gamarra de cima, Caixão Branco e fizeram um pit-stop no bar da cachoeira Gamarra de Baixo.
   Finalizaram o pedal em Baependi no Bar Fecha Nunca, que estava fechado, rs. Sem problema, bebemoraram a aventura no bar ao lado.
   Agradecimento especial ao Vanil, mentor deste pedal. Sempre gentil e bikessauro da gema. Sua família é especial. Brigadão pelo almoço de domingo. Fantástico.
   Os meus novos amigos Leonardo e Mateia. Excelente papo e bikers com uma técnica muito apurada.
   Agradecimento especial também a Andreza. Sem ela a aventura não seria possível.
   Vários amigos foram lembrados neste pedal. Por isto vamos reeditar este pedal em janeiro com um churrasco de chegada na Pousada Cachoeirinha.
   Foram 53 km em 04:30 h de pedal (06h no total). Ascendência de 1.700 metros e o gasto calórico de 4.000 kcal. Isto por que o clima estava perfeito. Nublado sem chuva. Temperatura média de 23 graus.

Abraços, Ronaldo.

Fotos:
https://picasaweb.google.com/116077722082235875296/AiuruocaBaependiaATravessia?authkey=Gv1sRgCPXV1v6NheObpAE#slideshow/5679990679434158354

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Mutuquinha com fazenda da serra

O dia amanheceu nublado e uma preguicinha insistia em querer me fazer desisitr da idéia mas a saudade de um pedalzinho foi maior e me dirigi ao Bike Ponto para encontrar minha amiga Luisa e meus amigos Bonfa e seu fiel escudeiro Nei.
No caminho encontrei a Luisa e subimos juntas.
Na fonte logo chegaram vários homens que estavam indo fazer o Batatinha. Nós 4 optamos por fazer Mutuquinha com Fazenda da Serra. Então saímos e o pedal foi muito legal. Fizemos apenas uma breve parada nos coqueirinhos e seguimos. O Bonfim nos levou por um caminho novo e passamos por uma subidona com uma grande plantação de Lichia. Pena que ainda não estavam no ponto mas ficou combinado de voltarmos em janeiro para saboreá-las. Atravessamos a serra tranquilamente e apreciando a paisagem. Quando chegamos no asfalto decidimos subir pelo sítio do Helcio e fomos até o West Bar. Dali seguimos pela rodovia mesmo e após as ladeiras da Vila Pinto chegamos ao Albanos para a tradicional cervejinha gelada com o Cateye marcando 54 km às 11:30h. Logo chegou o pessoal que foi fazer Batatinha e só sei que depois de um bom tempo eu e a Luisa saímos dali trocando as pernas... ou será as rodas??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
E vamos pedalar porque Aparecida VII está aí!!!!
Alessandra Nogueira

Pedal de sábado - Trilheiro pros lados do Batatinha

Um inúmero grupo partiu 08h do bikelocal para um pedal trilheiro pros lados do Batatinha. O tempo estava ótimo. Céu com muitas chuvas e sem chuva. Sob um clima amistoso o numeroso grupo venceu os 60 kemes em aproximadamente 4h.
Veja as fotos.
https://picasaweb.google.com/lh/sredir?uname=rodrigogsanches&target=ALBUM&id=5677246999919766321&authkey=Gv1sRgCMvSu7yR0dKnQQ&feat=email

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

PEDAL DE SÁBADO, 12 DE NOVEMBRO DE 2011

Boa tarde!

Com a saída das BIKESSAURAS para Aparecida, Eu, Timba, Jeffinho, Anderson (Dandan) e Carlinho Sortee samos para mais um pedal trilheiro (é claro, rsrsrsr). Fizemos a trilha dos Criaturas, onde mais uma vez consegui passar pela pinguela e vencer o medo do último tombo, e depois seguimos para Lagamar 1 e 2. Chegando no Lagamar, Jeffinho e Anderson voltaram por asfalto. Eu, Timba e Carlinhos continuamos o percurso passando pelo West Bar e chegando pelo campal.

Foi um pedal e tanto.

Aproveito a oportunidade para dar as boas vindas ao Anderson que pela 1ª vez, fez um pedal bem trilheiro. Sentiu um pouco, pois não tinha feito esse tipo de pedal ainda.

No final, eu, timba e carlinhos comemoramos o pedal no cantinho da roça.

Esse é o relato.
Abraços.

Totonho.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Trilha do Defunto em São Tomé das Letras no Feriado de Finados 01.11.11




Mais um pedalzaço em São Tomé.
O grupo formado por Carlinhos (Sortee), Hebert Bebert, Ronaldo, Andreza (apoio), Nino Jr. (apoio), Pantufa, Bregalda, Dondinho, Maciel, Silas, Alessandra, Bigorna, Marcelino, Rodrigo Sanches (Moc), Totonho, partiram de Varginha 06:45h rumo a cidade de pedra.
Parada na padaria Kely, credenciado pelos Bikessauros na última Aparecida.
Após dos preparativos de sempre no centro de São Tomé, 09h o grupo sentiu para o início da trilha.
Foi um pedal e tanto.
Sob um céu azul e clima ameno, o grupo se esquivou das pedras e escalou o caminho rumo ao pico do Gavião.
O retorno foi pela mesma trilha, onde todos se superaram diante dos obstáculos.
Um belo macarrão regado a cervejas e suco de uva para comemorar e o comboio voltou tranquilo para o lar.

Fotos:

Ronaldo:

Rodrigo Sanches:
https://picasaweb.google.com/lh/sredir?uname=rodrigogsanches&target=ALBUM&id=5670904952312761793&authkey=Gv1sRgCKvlyN7PuKyXlgE&feat=email