segunda-feira, 16 de julho de 2012

Le Tour: Aventura no Velho Continente.


Compartilho com vocês a viagem à Europa, ocorrida na segunda quinzena de junho/2012, que eu, Luizão, realizei com meu irmão, Carlinhos, e os amigos José Poli, Giovane, Paulo Fechadura, Tendinha e Arthur, todos Ciclovulcanos de Poços de Caldas, em parte, fazendo de bicicleta alguns trechos do circuito do famoso Tour de France (competição ciclística que existe desde 1903), pelos Pirineus e Sul da França (Provence/Côte d'Azur) até a Itália, Apeninos e Alpes Franceses. Incluindo passeios em Barcelona, Madri e Paris. Na maior parte da viagem alternamos entre as bicicletas e um motor home (uma espécie de trailer).


Iniciamos nossa viagem por Madri e seguimos para Pamplona (belíssima cidade espanhola); entramos na França pela cidade basca de St Jean Pied de Port, ponto de partida para o famoso Caminho de Santiago de Compostela; estivemos em Lourdes, no Santuário da Virgem; passamos por Toulouse e suas antigas e famosas construções de tijolos que, segundo os franceses, são cor-de-rosa pela manhã, vermelhos à tarde e lilases à noite. Nesse trecho da viagem encaramos dois grandes desafios de bicicleta nos Pirineus: o Col d’Aubisque (1.709 m) e o Col du Tourmalet (2.115 m).


Estivemos entre as muralhas da cidadela medieval de Carcassonne, patrimônio da humanidade, que serviu de palco para inúmeros conflitos, e que foi restaurada no século XIX. Estar em Carcassonne é voltar no tempo. Segundo consta, as primeiras construções da cidadela datam do século II a.C. Celtas, romanos, francos, cátaros, sarracenos e cruzados passaram por lá, e cada um a seu tempo dominou o lugar.

Passamos por Toulon, já no litoral do Mediterrâneo, na região da Provence/Côte d’Azur, e ficamos dois dias pedalando e curtindo o mar em Cavalaire e St. Tropez, onde conhecemos de bicicleta duas belas e charmosas vilas: Gassin e Ramatuelle. Após uma passagem rápida por Nice, seguimos para Principado de Mônaco. Caminhamos no circuito da F1 e tiramos muitas fotos. Daí, entramos na Itália, passamos por Turim e Pinerolo, de onde iniciamos nossas pedaladas para o Colle dell’Agnello (Col du Agnel, para os franceses - 2.744 m), nos Apeninos, que divide a Itália e a França, e de lá para o Col d’Izoard (2.360 m), na Rota dos Grandes Alpes Franceses, coisa de mais de 70 Km de pedal, uns 40 km de subidas fortes.
A partir de Briançon, nos Alpes Franceses, encaramos mais um desafio ciclístico: o Col du Galibier (2.642 m), nosso último objetivo no circuito do Tour de France. A partir daí, pedaladas somente em Paris.


Uma vez cumprida a parte ciclística da viagem, iniciamos uma nova fase: cultural e gatronômica. Passamos pela vibrante cidade catalã de Barcelona. Visitamos o Parque Guell, onde se encontram famosas obras de arquiteto Gaudi, conhecemos o fervilhante centro, suas belas “plazas” e as famosas “ramblas”, onde tomamos a tradicional “sangria” (aquele vinho com frutas).

Em Madri, estivemos no Centro de Artes Reina Sofia, no Museu do Prado, no Estádio Santiago Bernabéu (Real Madrid), na Plaza de Toros, na Puerta Del Sol, nas fontes de Cibeles e Neptuno, na Plaza Mayor e, claro, no Palácio Real e seus belos jardins. Madri é uma belíssima cidade.

Ah, Paris! Lá alugamos umas bicicletas do projeto “Velib”, pois não valia a pena montar as nossas, e saímos pela cidade, ora nas faixas exclusivas, ora no meio do trânsito mesmo. E como foi bom pedalar nesta cidade incrível! Essas bicicletas são pesadas mas confortáveis. Com três marchas e freio a tambor, são muito apropriadas à cidade, que é muito plana. Além disso, há pontos instalados por toda a cidade. Tudo é feito de maneira eletrônica: a retirada, a entrega e o pagamento.
Dessa forma, percorremos os monumentos mais importantes da Cidade Luz: o Louvre, o Arco do Triunfo do Carrossel, a Igreja de Sta Madeleine, o Hospital des Invalidees, a Ópera de Paris, a Champs Elysees, o Arco do Triunfo, a Esplanada do Trocadéro (a melhor vista da Torre Eiffel) e, claro, a famosa torre. Lá no topo a vista da cidade é de tirar o fôlego. Um espetáculo! À noite, do Trocadéro, foi possível ver a Torre Eiffel iluminada e ainda mais bela. Aliás, Paris à noite é um arraso!

O link abaixo contém 334 fotos legendadas, com informações sobre cada ponto da viagem. Se tiver interesse e tempo...

2 comentários:

Ítalo de Paula disse...

Meus amigos, o que é isso? Faço parte de uma equipe de MTB, na região Sul Fluminense do Rio de Janeiro e fiquei impressionado com essa postagem. Sonho fazer um pedal desses no futuro. Parabéns pela empreitada!

Se quiserem conhecer nosso blog: www.mtbaltogiro.com

DEYLLER disse...

Luizão, essa foi show de bola !!!! paisagem maravilhosa..... abraços ao Poli e ao seu irmaão . Parabéns pelo pedal.